Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




DDO: Ceptro da Pureza

por Andrusca ღ, em 17.07.14

Capítulo 17

Os Procuradores * Parte 1

 

O grupo de amigos estava a arrumar as coisas para regressarem a casa. Brad ainda estava confuso sobre o que tinha acontecido na noite antes da última, e não tinha ficado muito convencido de que tinha desmaiado assim que entrara na casa e que, por isso, vieram logo embora. Mas deixou o assunto em paz e nunca mais se falou nisso. As pessoas falavam era, por toda a vila, sobre o trágico incêndio que tinha feito a Casa das Sombras arder, estando todas elas chocadas com o acontecimento.

- Tens tudo? – Perguntou Chelsea, a Richard.

- Por acaso chamo-me Chelsea? – Retorquiu ele, em tom de brincadeira. Mas a irmã nem sequer um pequeno sorriso esboçou – O que é que se passa Chels? Desde que fomos àquela casa que andas diferente. Ainda estás zangada?

- Não – ela respondeu depressa, e sinceramente, mas depois respirou fundo e sentou-se no sofá, onde Richard tinha também a mala em cima – Fiquei zangada por causo do perigo a que vocês se sujeitaram, mas já não estou. Pelo menos não até vocês voltarem a armarem uma assim.

Richard soltou um pequeno risinho e depois correu o fecho da mala, fechando-a assim. Sentou-se ao lado da irmã e esfregou as mãos.

- Então desembucha – mandou – Porquê essa cara de enterro?

Chelsea suspirou e depois fixou um ponto na parede branca, não olhando para o irmão.

- Bem, ainda não disse isto a ninguém, mas falei com o Jensen pouco antes de ter ido à vossa procura – Richard franziu as sobrancelhas, não percebia como isso podia ser uma coisa má – Pois, e acho que também ainda não tinha dito que ultimamente não temos falado muito.

- Não têm?

- Não. Ele tem estado… a evitar falar comigo, e não percebo o porquê. Ele consegue disfarçar, mas quando falo com o PJ consigo perceber que algo está errado.

- E perguntaste-lhe?

- Só mil vezes. Ele não me diz. De qualquer maneira, tivemos uma pequena discussão… e não sei exactamente como acabou.

- Como assim?

- Ele disse que falávamos quando ele voltasse. Daqui a três semanas. E depois desligou.

- Achas mesmo que ele consegue passar três semanas sem falar contigo? – Pela primeira vez desde que iniciaram a conversa, Chelsea olhou para o irmão para ver como confiante a sua expressão estava – Chels, nós estamos a falar do mesmo tipo que, quando está no meu quarto, arranja todas as desculpas possíveis e imaginárias para te ir espreitar ao teu, certo?

- Sim, mas…

- E aquele que presta atenção ao mínimo detalhe quando te quer fazer alguma surpresa?

- Sim… mas algo está diferente Richard. Na nossa relação tivemos duas fases: aquela em que não mentíamos um ao outro, e então ele morreu e foi ressuscitado; e aquela em que eu lhe tive que mentir para o proteger até ele ganhar a memória. Acho que a terceira fase é aquela em que ele me mente por algum motivo. Não estou a dizer que esteja a fazer alguma coisa errada, só a estou dizer que não me está a contar tudo.

- Então achas que se está a passar algo – constatou ele – Achas que tem a ver com a Escuridão?

- Sinceramente? Espero que não… mas acho que sim. E, nestas coisas, raramente me engano.

Richard ia dizer qualquer coisa quando Brad apareceu, e foi forçado a guardá-la para mais tarde. Depois de mais alguns minutos, enquanto os outros se despachavam, puseram-se finalmente a caminho de Diamond City. A viagem de regresso pareceu muito mais rápida do que a de ida, e chegaram à cidade ainda antes do anoitecer. Iam-se despedindo à medida que iam deixando os amigos nas respectivas casas, e no fim apenas sobraram Richard, Chelsea, e Brad. Como Brad estava sozinho em casa, pois os seus pais tinham ido numa viagem, a mãe dos outros dois quase que o obrigara a jantar com eles.

A ruiva estava a arrumar a sua roupa nas gavetas quando lhe bateram à porta do quarto, e depressa viu a cabeça de Brad a espreitar.

- Posso? – Perguntou ele, lançando um sorriso maravilhoso.

- O Richard já te aborreceu? – Brincou ela, fazendo-lhe sinal com a cabeça para que entrasse.

- Foi tomar um banho. Então, gostaste destes dias?

Bem, pensando em todos os pormenores, até tinham sido três dias bem passados. O plano de os manter livres da magia do oculto tinha saído furado, e claro que tinha havido a discussão com Jensen, mas no geral até tinham sido uns dias agradáveis.

- Sim. As pessoas de lá são todas super simpáticas.

- Pois são. Em breve vão perguntar quando é que lá voltamos. Queres lá voltar?

- Claro, talvez um dia – Chelsea não percebeu a intenção com que o amigo perguntara aquilo, e dobrava as suas camisolas em cima da cama com a maior das calmas.

O jantar foi passado tranquilamente, tanto Norman, como Margaret, gostavam de Brad e conversavam bem com ele. Como não podia deixar de ser, o xerife perguntou-lhe coisas sobre a Defensora, perguntas às que ele respondeu sem qualquer problema. Visto que estavam todos cansados da viagem, Brad foi relativamente cedo para a sua casa e Chelsea subiu logo para o quarto. Tomou um longo e relaxante banho de espuma e depois vestiu o pijama, indo automaticamente para a cama. Adormeceu em menos de nada.

 

 

- Acorda, minha preguiçosa – Richard tentava, em vão, acordar a irmã. Cassie tinha telefonado a perguntar se eles queriam ir fazer um piquenique com o resto do pessoal, e ele aceitou prontamente, mas parecia não haver nada que tirasse Chelsea do mundo dos sonhos – Oh, que se lixe.

O rapaz fartou-se e aproximou-se da secretária dela, de onde tirou um post-it onde deixou um recado a dizer onde ia ser o piquenique, e para ela lá ir ter quando quisesse. Foi até à cozinha e agarrou num cesto de tamanho médio, onde colocou pão, queijos, um sumo grande e uma garrafa de água, tirando os ocasionais doces que ia encontrando pela cozinha. Saiu logo depois disso, deixando-a ainda adormecida. Pôs-se a caminho do parque de merendas e encontrou Helen pouco depois. A rapariga também levava uma pequena cesta na mão, e trazia os cabelos entrançados.

- Então a Cassie, não vem contigo? – Perguntou Richard.

- Diz que depois vai lá ter, acho que a mãe lhe pediu para fazer umas coisas – explicou ela – E então e o Will? Achas que vem?

- A Cassie disse que também o convidou… mas não sei. Ele anda mais estranho que o normal. E o Brad?

- O Brad disse que não podia, parece que os pais chegam hoje.

- Bem, então parece que por agora somos só nós. A Chelsea ficou a dormir, como era de adivinhar.

Helen riu-se.

- Coitada, tens que lhe dar um desconto. Acredito que não seja nada fácil fazer o que ela faz.

- Também eu, mas ambos sabemos que ela é assim desde sempre, não é só por causa da Defensora do Oculto.

Quando chegaram ao parque de merendas procuraram por um bom local à sombra de uma das mil árvores que lá havia, e sentaram-se na relva, por cima da toalha que Helen tinha levado. Richard começou a tirar a comida toda para cima da toalha, tal como a amiga, e no fim apenas faltava o frango que Cassie se tinha prontificado a levar. Helen tinha levado duas tartes, um bolo e dois sumos.

Richard pensou um bocado antes de falar, não sabia se devia perguntar aquilo a Helen, ou não, e tinha a impressão de que, se o fizesse, a irmã ficaria deveras chateada com ele, mas não aguentou. Estava preocupado e queria saber se Helen sabia de alguma coisa que o deixasse mais descansado.

- Ouve, Helen – disse, captando a atenção da rapariga –, a Chels disse-te alguma coisa sobre uma discussão com o Jensen?

Helen franziu as sobrancelhas e negou com a cabeça.

- Porquê? O que é que se passou?

- Ela veio-me com essa conversa há três dias, quando ainda estávamos lá na aldeia. Disse que tinham discutido e, pelo que percebi, só voltam a falar quando o Jensen regressar.

- Ela não me disse nada, mas reparei que tem estado estranha. Porque é que discutiram?

- Aparentemente ela acha que ele lhe está a esconder alguma coisa.

- E está?

- Não sei. Telefonei ao PJ, mas ele também não me disse nada.

Numa das pausas na conversa, começaram a ver uma rapariga de cabelos negros com madeixas rosas a correr na direcção deles.

- Desculpem… o atraso… - desculpou-se Cassie, a arfar.

- Pintaste o teu cabelo! – Exclamou Helen.

- Estava farta de o ver azul – Cassie era assim, mudava a cor de cabelo do dia para a noite – Trouxe o frango, vamos comer!

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Imagem de perfil

De Joanna a 18.07.2014 às 20:36

eu gostei de quase todos por isso para responder à tua pergunta de uma forma meio aleatório o filme que mais gostei foi o último da lista "tengo ganas de ti"
beijinhos querida c:
Sem imagem de perfil

De Maria a 24.07.2014 às 22:20

mas quando é que o brad se declara?

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor




The Ghosts

web counter free