Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




DDO: Ceptro da Pureza

por Andrusca ღ, em 29.03.14

Capítulo 12

Brincadeiras de Verão * Parte 2

 

- Pára! Deixa-me em paz. Larga-me. Brad! – Guinchava Chelsea, enquanto era carregada ao colo do amigo na direcção da água. Desde que chegara à praia que está com um pressentimento estranho, e por isso não estava a dar atenção a nada nem a ninguém. Mas Brad achou que ela estava triste, em baixo por qualquer assunto, e por isso decidiu que tinha que a animar.

Deixou-a cair dentro de água e viu-a regressar logo à superfície.

- Vês? Não foi assim tão mau – disse ele, rindo-se.

A ruiva revirou os olhos mandou-lhe água, dirigindo-se para a beira do mar. Brad encolheu os ombros e foi atrás dela.

- Não fiques zangada – suplicou – Só te queria animar, tens estado tão calada.

Chelsea parou de andar e voltou-se para o amigo. Na verdade não o podia culpar de nada, estava apenas a ser seu amigo e, como não sabia da história da Defensora, não lhe podia dizer o porquê de estar a agir daquela maneira. Dirigiu-lhe um pequeno sorriso amigável e encolheu os ombros.

- Não estou zangada – garantiu – Anda, vamos secar.

Brad voltou a ficar de bom humor e saiu da água a correr, como se de uma criança se tratasse, mas Chelsea, quando estava quase a sair, sentiu um arrepio na espinha e voltou-se de novo para o infinito do mar. “Que estranho”, pensou. Decidiu não dar muita importância ao assunto, e foi para ao pé dos amigos. Falaram durante um tempo, disseram algumas piadas, riram-se de memórias antigas, e a Defensora do Oculto deu por si a vaguear por todos os assuntos nos quais não queria pensar. Tecnicamente sim, Will tinha-lhe dado uma folga, mas teria ela realmente alguma folga? Mesmo quando lhe davam permissão, Chelsea não conseguia parar de pensar nos assuntos do oculto. Kiki não lhe saía da cabeça, tal como o ceptro misterioso e todos os outros demónios. E depois havia aquela sensação. Aquele mau pressentimento.

A ruiva fez um pequeno grunhido de frustração e enterrou a cabeça na toalha, pondo todos a olhar para si.

- Estás bem? – Perguntou Will – Passa-se alguma coisa?

- Hum? – Chelsea levantou a cabeça e sorriu para disfarçar a sua frustração – Não, está tudo bem. Eu vou… vou dar uma volta. Não demoro.

Sem dizer mais nada, levantou-se da toalha e dirigiu-se à beira-mar, ao lado da qual começou a caminhar. A ruiva amava caminhar perto do oceano, mas não na altura em que toda a gente estava na praia. Não tinha um único momento de silêncio, era sempre interrompida com pessoas a saírem ou a entrarem na água, não era capaz de ter, realmente, um segundo apenas para si. Começou a ouvir gritos atrás de si, e ao princípio pensou que fossem derivados de alguma brincadeira mas, ao ouvir a palavra “monstro”, voltou-se. Ainda conseguia ver os seus amigos, agora todos levantados e a olhar o mar tal como o resto dos banhistas. A ruiva dos caracóis fê-lo também, e não teve qualquer reacção. Um enorme remoinho estava a ser criado a poucos metros da beira-mar, criado por um monstro sem face ou membros definidos, um monstro que era apenas uma forma criada pela água e que andava à volta do remoinho, tornando-o mais forte. As pessoas fugiam de dentro de água como pequenas formigas.

- Ajudem! Socorro! – Gritou uma mulher, enquanto apontava para uma criança que não conseguia sair da água. Chelsea olhou em volta, uns homens foram tentar ajudar, tal como o nadador salvador, mas foram forçados a voltar para trás. Não conseguiriam sair da água nem que juntassem todos os esforços, e em vez de lá ficar a criança, ficariam todos.

“Uma folga, hum?”, pensou para si com algum sarcasmo. Olhou em volta e viu uma entrada para uma gruta a poucos metros, para a qual correu. Após trocar o seu biquíni pelo fato da Defensora do Oculto, saiu a correr em direcção ao mar e mergulhou. Nadar com aquele fato não era nada confortável, e a máscara era ainda pior, mas não tinha escolha. Nadou até ao miúdo, que apenas estava a boiar graças às braçadeiras que tinha nos braços, e agarrou-o.

- Estás bem? – Perguntou.

- S… sim – disse o miúdo.

- Sabes mergulhar? – O miúdo assentiu – Vou-te mandar para a beira da água. Não tenhas medo, está bem? Quando lá chegares é só saíres, combinado? – De novo o miúdo assentiu, e Chelsea respirou fundo. Com o poder da mente fê-lo saltar até perto da rebentação das ondas, vendo-o depois sair com a ajuda de algumas pessoas que observavam tudo. Voltou-se a tempo de ver o “monstro” ir na sua direcção e empurrá-la para baixo, não lhe dando tempo para respirar.

Chelsea estava a ser cada vez mais empurrada para o fundo e não conseguia fazer nada para se soltar daquele demónio. Esperneava e tentava esmurrá-lo, mas era feito de água, estava em todo o lado. O oxigénio estava prestes a acabar quando decidiu explodir tudo, o que causou uma enorme turbulência no fundo do mar que a expeliu para cima. A ruiva voltou a cair na água salgada, sendo enrolada na enorme onda que criara, e mandada para a areia, onde ficou de joelhos a cuspir a água que lhe ficara na boca e com um horrível ataque de tosse. Era como se tivesse algo a bloquear-lhe os pulmões, algo que só depois de poucos segundos aliviou. Viu o remoinho a diminuir a velocidade, até parar por completo, e suspirou de alívio.

- Destruíste aquela coisa? – Perguntou-lhe uma mulher, que lhe dera a mão para se levantar. Por momentos Chelsea não soube o responder, viu-se rodeada de pessoas que provavelmente iam querer fazer-lhe perguntas, e isso nunca lhe tinha acontecido.

- Acho… acho que sim – disse, com uma impressão na garganta por causa da água salgada engolida.

- O que era? – Perguntou um homem.

- Como é que fizeste aquela onda? – Perguntou outro.

- Como é que sabias que aquilo estava aqui? – Perguntou uma velhota.

- Eu… eu… - Chelsea voltava-se para todos os lados mas não sabia o que dizer. Estava a ficar tonta. Finalmente, ao longe, viu os amigos que tentavam romper a barreira de gente e chegar até si, e respirou fundo – Eu espero que tenham um bom dia de praia – dito isto Chelsea correu até uma ponta e saltou por cima das pessoas, continuando a sua corrida até às rochas, onde despistou os mais curiosos.

Depois de regressar ao seu aspecto normal, a ruiva esperou um pouco até regressar. Ia a sair das grutas quando três rapazes pararam à sua frente.

- A Defensora do Oculto! – Gritaram, fazendo logo com que o seu coração falhasse uma batida. “Descobriram-me. Sabem quem sou”, pensou em pânico – Ela veio por aqui! – Continuaram eles, fazendo-a suspirar de alívio – Não a viste?

Ela abanou a cabeça e continuou a andar até começar a avistar os seus amigos de novo. Richard e Helen estavam sentados nas toalhas, com um ar preocupado. Will não parava de andar de um lado para o outro e Brad e Cassie estavam a olhar para o mar. Chelsea aproximou-se, agindo o mais naturalmente possível.

- Então pessoal, porquê essas caras? – Perguntou-lhes, anunciando o seu regresso.

Todos, menos Brad, fizeram uma expressão de alívio quando a viram.

- Nem fazes ideia! – Exclamou logo Brad – A Defensora do Oculto esteve aqui! Foi incrível, houve uma coisa qualquer com o mar e então ela teve que vir, e depois fez uma onda gigante e… ei, porque é que estás molhada, foste ao banho?

Helen e Cassie fizeram uma pequena expressão de pânico, e Will pensou logo numa coisa para dizer para distrair Brad, mas Chelsea não lhes deu tempo para fazerem nada.

- Tive calor por causa da caminhada – justificou, com a maior das naturalidades – Então pessoal, que me dizem a irmos dar um mergulho? Já estou com calor outra vez.

O grupo olhou para a água e franziu o nariz, lembrando-se do mais recente acontecimento.

- Não sei… - murmurou Helen – Acho que vou torrar ao sol.

- Sim… eu acho que vou esperar um bocado até ver se o mar voltou mesmo ao normal – disse Cassie – Talvez uma semana… ou duas.

- E eu nem tenho calor – mentiu Richard, sendo logo apoiado por Will e Brad.

Chelsea revirou os olhos e mandou as mãos ao ar.

- Oh, vá lá – insistiu ela – O meu mau pressentimento já passou, está tudo bem.

Assim que ouviram aquilo todos eles descontraíram, menos Brad. As raparigas levantaram-se das toalhas e Will e Richard começaram logo a ir na direcção do mar.

- Uau, os teus pressentimentos são assim tão certos? – Perguntou Brad, a gozar. Chelsea riu-se.

- Nem fazes ideia.

Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

Imagem de perfil

De Yria Rivers a 30.03.2014 às 14:33

omg o brad é a coisa mais fofa de sempre ^^
mas sabes o que é que eu quero? que o jensen apareça :cc estou preocupada com ele.
Imagem de perfil

De Miguel Alexandre Pereira a 31.03.2014 às 18:07

estou a adorar a história cada vez dá mais vontade de ler! agora é esperar para que chegue o próximo capítulo, escreve rápido para não ficar aqui cheio de ansiedade para saber o que acontece a seguir :)
Imagem de perfil

De ♥ Annie ♥ a 31.03.2014 às 18:31

Aww ainda bem que fizeste um capitulo com o Brad antes de ele se ir embora :3
Ela nunca irá ter uma folga...
Ah! Por momentos pensei mesmo que a tivessem descoberto..
Adorei!

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor




The Ghosts

web counter free