Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




DDO: Ceptro da Pureza

por Andrusca ღ, em 17.02.14

Capítulo 9

Seguir os Sonhos * Parte 1

 

Era o primeiro dia oficial das férias de Verão. Não havia despertador, Chelsea não ia ter aulas, não ia haver mais stress durante as manhãs e já não ia ter lugar nenhum para ao qual chegar atrasada. E, no entanto, às sete da manhã, a bela ruiva encontrava-se bem acordada, deitada na sua cama e apenas cobrida com o lençol, a olhar para o tecto. Não tinha dormido toda a noite. Quando chegou a casa, telefonou a Will, mas então lembrou-se que este partira para falar com os Guardiães e por isso estava incontactável. Queria falar-lhe de Kiki. Sabia que era alguém importante, e temia até saber de quem se tratava, mas precisava de uma confirmação. Precisava de o ouvir da boca de Oyuan ou de Clayde.

Deu voltas e voltas naquele colchão fofo, mas nunca chegou a entrar para o mundo dos sonhos. Levantou-se às sete e meia e vestiu o fato de treino. Comeu uma maçã e foi correr para o parque. Na cama não fazia nada, assim ao menos conseguia ir espairecer. Colocou os fones nos ouvidos e correu durante mais ou menos uma hora. Quando eram nove e meia chegou a casa, e os seus pais já tinham ido para o trabalho. Richard ainda dormia.

Tomou um duche e, depois de vestir o biquíni e uma roupa fresca, foi acordar o irmão. Tinham combinado encontrarem-se na praia, às onze horas, com os amigos. Este resmungou um bom bocado, mas depois lá se foi despachar. Chelsea ainda teve que esperar largos minutos até saírem de casa.

- Estás com um aspecto horrível – comentou Richard – Não dormiste bem?

A ruiva suspirou.

- Não.

- Problemas da Escuridão? – Chelsea apenas lhe encolheu os ombros, e Richard franziu o sobrolho – Podes-me dizer.

- Não quero dizer nada até ter certezas. Tudo o que possa pensar agora é apenas suposições.

Continuaram o caminho em silêncio, e quando chegaram ao areal descalçaram-se e começaram a procurar por alguma cara conhecida. Pouco tempo depois avistaram Helen e Cassie que, sentadas à beira mar, conversavam.

- Esperem aí! – Ao ouvirem aquela voz, os irmãos Burke voltaram-se ao mesmo tempo, e viram PJ a correr para eles com aqueles seus caracóis a abanar. Alcançou-os, e depois foram os três na direcção das raparigas.

Chelsea pousou a sua pequena maleta perto das coisas das amigas, e estendeu a sua toalha. Despiu os calções brancos e a blusa azul-turquesa e depois pôs o creme de protecção contra o sol. Só então foi ter com as duas raparigas, que agora falavam animadamente com Richard e PJ.

- Credo Chelsea! – Exclamou Helen, ao ver a amiga – Estás terrível! Não me digas que passaste a noite a destruir aquelas coisas.

Chelsea abanou a cabeça.

- Só não consegui dormir bem – justificou.

Estiveram algum tempo na brincadeira, até que todos decidiram ir ao banho. Chelsea optou então por ir dar um passeio junto ao mar. Começou a andar, apenas com os pés a tocar na água, e concentrada no barulho que as ondas faziam ao rebentar. De súbito uma memória invadiu-lhe a mente. Tinha sido naquela mesma praia que, há pouco menos de um ano, tinha conhecido Lyux, a primeira Bruxa da Escuridão que enfrentara. Sentou-se em cima da mesma rocha, também a olhar o mar, enquanto revivia esse momento. A Bruxa de cabelo loiro platinado dissera-lhe que devia guardar as suas forças para a batalha final, que supostamente seria contra ela. Raptou-lhe os amigos e então, juntamente com a irmã Blinke, matou Richard, Cassie e Jensen. Mesmo sem saber como, no fim, Chelsea conseguiu. Destruiu-as às duas. E o seu irmão, amiga e namorado foram trazidos de volta à vida. “Parece um filme”, pensou ela, enquanto pensava no percurso que a tinha trazido até aos dias de hoje, “um filme muito mal pensado”.

Fechou os olhos e inspirou o cheirinho a maresia. Como ela amava o Verão. Poder olhar o azul do mar e banhar-se nele sempre que lhe apetecesse. Ficar estendida ao sol até se cansar e então ir dar um mergulho para se refrescar. Naquela zona da praia nunca havia movimento, já ficava algo longe de onde toda a gente se deixava ficar, por isso havia sossego. Porém, Chelsea começou a ouvir algo atrás de si e abriu os olhos a tempo de ver, pela sombra na areia, uma mão que a ia alcançar. Foi mais rápida, agarrou-a e empurrou-a, levantando-se logo de seguida.

- Calma! – Disse Jensen, de mãos no ar, como se fizesse algum sinal de paz. A namorada respirou fundo. Tinha o coração aos pulos.

- Assustaste-me – explicou, retomando o seu lugar sentada em cima da rocha.

- Desculpa. Caracolinhos, estás…

- Péssima – interrompeu ela, soltando um risinho e bocejando logo de seguida – Sim, já me disseram.

Jensen passou os dedos pelo cabelo negro e encostou-se à rocha, observando bem a rapariga.

- No que estavas a pensar? Xay?

Chelsea abanou a cabeça.

- Na Lyux… na Blinke… na Belle – respondeu.

- Mas porquê? Estão mortas, já não te podem magoar. Não podem magoar mais ninguém.

Ela assentiu com a cabeça, mas respirou fundo sem retirar os olhos do mar.

- Eu sei – consentiu –, mas não deixam de ter existido e feito o que fizeram. Como é que soubeste que estava aqui?

- O pessoal disse-me que tinhas vindo passear. Segui o mar, e encontrei-te.

- Jensen… não achas…

- Shh – Jensen colocou-se à frente da rocha e pôs o seu dedo indicador à frente dos lábios da bela ruiva – É o primeiro dia de férias. Por isso aproveita-o. Preocupa-te com as coisas amanhã, pode ser?

Chelsea assentiu e saltou da rocha, dando um beijo nos lábios do namorado e alcançando-lhe a mão para o puxar ao longo do areal.

- Vamos voltar – pediu.

Voltaram para junto dos outros e estiveram entretidos durante vários minutos. Quando a fome começou a apertar, Jensen convidou Chelsea para ir almoçar à sua casa, visto que a sua mãe tinha ido trabalhar, e por isso foram embora. Almoçaram calmamente, comida que a Phyllis tinha deixado já feita, e depois foram para o quarto do rapaz. Chelsea estava finalmente a começar a sentir vontade de descansar, e os olhos começaram a pesar-lhe. Deitaram-se os dois na cama, ela ligeiramente apoiada no peito dele, e ele a fazer-lhe festas no cabelo. Aqueles olhos verdes não tardaram a fechar-se e a transportá-la para o mundo dos sonhos. Ao contrário do esperado, não teve nenhum pesadelo. Jensen permaneceu acordado, sempre ao lado dela, a fazer-lhe festas e a admirar o quanto era bonita. Agora, mais que nunca, via a namorada com outros olhos. Finalmente conseguia ver que só podia ser o destino dos dois acabarem juntos e inseparáveis. Não conseguia imaginar que a História o quisesse de qualquer outro modo. Ela era a sua alma-gémea, a única pessoa com quem podia falar sobre tudo, e a única que o compreendia em todos os aspectos. Admirava-lhe a coragem, mesmo que ela achasse não a ter. Mas ele sabia que a tinha, em conjunto com a força e a perseverança. Sabia que uma pessoa corajosa não era aquela que, tendo todos os trunfos, ia para a guerra e ganhava; não, era aquela que mesmo com todas as hipóteses contra si, continuava a dirigir-se para a batalha apenas à espera que algum milagre se desse na altura certa.

Chelsea dormiu por duas horas e pouco, e apenas acordou quando o rapaz se moveu.

- Desculpa – apressou-se ele a dizer.

- Não faz mal – disse ela, após um bocejo – Desculpa ter adormecido…

- É normal, estavas cansada.

Chelsea sorriu-lhe e então, por trás dele, em cima da secretária, viu algo que a fez franzir os sobrolhos.

- O que é aquilo? – Perguntou, à medida que se levantava e se aproximava. Viu várias rotas turísticas e catálogos de viagens. Mexeu em alguns desses papéis, e lá para o meio viu também um bilhete de avião. Verificou a data, não faltava muito tempo – Vais viajar?

Jensen fechou os olhos e suspirou. Tinha-se esquecido de guardar aquilo. Não queria que ela visse, não queria que pensasse que a ia abandonar agora, num momento tão crítico. Aproximou-se da namorada e puxou-a pelas mãos até à cama, fazendo-a sentar-se ao seu lado.

- Ia – respondeu ele – Comprei esse bilhete há meses, já tinha planeado as rotas todas. Lembras-te de quando éramos mais novos e eu dizia que o meu sonho era fazer uma viagem pela Europa?

Chelsea assentiu, já a prever o resto da conversa. Jensen sempre dissera que antes de ir para a universidade queria ver o mundo. Isso não aconteceu. Assim que acabou o liceu, foi para a universidade. Mas não desistiu da ideia. O seu grande sonho sempre fora fazer uma viagem pela Europa, e nunca o escondeu de ninguém. Queria pegar na sua “menina”, a mota preta e reluzente, e em PJ e seguirem juntos. Ao princípio Richard também era para ir, mas nunca se interessou muito por viajar para sítios longínquos, ainda para mais tinha medo de andar de avião.

- Dizias que querias ir ver as francesas jeitosas e as portuguesas bonitas – disse ela, num tom amuado mas a brincar. O rapaz riu-se – Estavas a planear fazer essa viagem nestas férias?

Jensen respirou fundo.

- Sim. Comprei o bilhete ainda antes de começarmos a namorar, e depois o Tony morreu e… nunca mais me lembrei disto, até que estava a falar com o PJ num dia destes e ele trouxe o assunto à baila, também já tem tudo pronto. Vim procurar as coisas, e encontrei tudo no fundo de uma dessas gavetas. Os mapas, o bilhete. Claro que agora não interessa para nada, estava a pensar oferecê-lo ao Richard para ele ir com o PJ, ou algo assim.

Chelsea engoliu em seco. Uma viagem pela Europa não devia demorar pouco tempo, mas também não queria que o namorado não a fizesse apenas por causa de si.

- Que disparate, porquê? – Perguntou-lhe ela, surpreendendo-o – Queres esta viagem desde sempre, Jensen. Por quanto tempo é?

- Um mês – a rapariga esboçou um pequeno sorriso, apesar de até lhe ter dado uma dor no coração. Um mês inteirinho sem ele – O que foi?

- Estás com medo de não aguentares um mês sem me veres? – Brincou ela. Ela sabia o quanto ele queria aquela viagem. Passou anos a falar dela, não queria ser o motivo para que a cancelasse.

- Não sejas parva. Precisas de mim aqui, com tudo o que aconteceu, com teres voltado a ser a Defensora, a morte do Tony e tudo… não posso ir agora. Ainda para mais ontem apareceram aqueles malucos a falar de uma Kiki, e ela pode ser uma nova ameaça. Não faz mal, fica adiada um ano, ou dois.

- Um ano, ou dois? No próximo ano é o teu último ano de faculdade, Jensen. E depois começas a trabalhar. E por isso, quando é que vais aproveitar para te divertires? Já voltei a ser a Defensora há alguns meses, e o Tony… eu vou superar. E acerca da Kiki, nem sequer sabemos se é mesmo alguém importante. Tanto quanto sabemos podiam ser aqueles demónios a mexer com as nossas cabeças. Vai, faz a viagem dos teus sonhos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Imagem de perfil

De Yria Rivers a 17.02.2014 às 21:00

Omg!!! cheguei ao último capitulo que postaste ^^
opa eu nem vou comentar o que eu acho do jensen porque acho que já sabes, eles os dois são tão fofos, mas estou a ver é que isto da viagem vai dar para o torto
posta maaaaaaaaaais
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.02.2014 às 11:35

Não me agrada nada que o Jensen vá viajar um mês inteirinho sem a Chelsea! Ela precisa tanto dele, não só porque namoram mas também porque ela tem de defender o mundo.
Mas gostei imenso do capítulo:)
BeijinhoxD
Sem imagem de perfil

De Bruna a 19.02.2014 às 11:35

Ass. Bruna
Esqueci-me de escrever em cima ;D
Sem imagem de perfil

De Maria a 27.02.2014 às 20:12

Chelsea a ser fofa

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor




The Ghosts

web counter free