Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




DDO: Ceptro da Pureza

por Andrusca ღ, em 15.01.14

Parece que voltámos, não é?

Façam um esforço, por favor, para se lerem comentarem (:

 

Capítulo 4

Consegues-te Lembrar? * Parte 2

 

A ruiva parou subitamente quando a porta à qual estavam a passar ao lado se partiu e de lá saiu um corpo a “voar” em direcção ao andar de baixo, mas ela teve os reflexos rápidos o suficiente para evitar que PJ caísse e puxou-o, com a telicnese, para ao pé de si. De dentro do quarto saiu outro dos demónios, com Richard agarrado pelo colarinho.

- Larga-o – mandou Chelsea, com a voz firme.

- Ou o quê? – Desafiou-a. Ela não o podia matar. Se o fizesse, e ele não fosse o verdadeiro demónio, então mais um se formaria. Os outros três chegaram também ao pé deles, e rodearam-nos. A única saída era para o andar de baixo, e ainda havia o demónio à porta da casa.

“Pensa Chelsea, pensa”, exigiu-se. De dentro de um bolso na parte de dentro do casaco comprido o demónio tirou uma pequena navalha, que apontou a Richard. “Não tenho escolha”, percebeu, sentindo uma raiva enorme a crescer dentro de si. Não ia deixar nada acontecer ao irmão. Nem a ele, nem a PJ, nem a Cassie. Não o ia permitir. O pingente começou a irradiar o seu brilho esplêndido e as roupas de Chelsea mudaram num segundo, para espanto de PJ, que olhava maravilhado, e de Cassie que não conseguia deixar de se sentir assustada com toda a situação.

- Não me deste escolha – a Defensora do Oculto deu duas passadas largas e agarrou-lhe no braço, torcendo-o e fazendo com que a navalha caísse. O demónio soltou Richard e começou a lutar com ela, e em questões de momentos todos os outros se juntaram. Chelsea nem deu por nada e, de um segundo para o outro, todos os demónios estavam imobilizados. Viu a navalha na mão de PJ, e olhou alarmada para os demónios. A navalha tinha sangue. PJ tinha-os atingido. Isso significava mais demónios, mais sarilhos.

- Entrem aí! – Chelsea abriu uma porta e depressa entraram todos lá para dentro, antes de os demónios se duplicarem.

- Fiz alguma coisa mal? – Perguntou PJ, confuso e assustado ao mesmo tempo – O que é que fiz?

- Quando os matamos, multiplicam-se. Duplicam. Deixa-me pensar PJ… tu atingiste-os a todos, certo? Ok… então não é nenhum deles… são reflexos… por isso onde é que está o verdadeiro? Isto não faz sentido nenhum!

- Estás a entrar em pânico – comentou Richard – Respira fundo mana, tu consegues fazer isto.

“Mas não consigo”, pensava ela. Estava demasiado assustada para se concentrar. Com demasiado medo que algum deles se magoasse. Mesmo assim, forçou-se a fechar os olhos e, aos poucos, todos os barulhos se foram desvanecendo. As batidas na porta, os gritos dos demónios, o vento da rua, o chiar da madeira. Nada. Silêncio total. Era apenas ela sozinha num espaço fora de todo o mundo. Calma, serena, concentrada. “Agora, onde está o verdadeiro demónio?”, perguntou-se. Tentou senti-lo. E, de facto, sentia-o.

- Claro! – Exclamou, abrindo os olhos subitamente, acabando com a expectativa dos amigos.

- O quê? – Perguntou Cassie.

Chelsea ignorou-a. Foi até à janela e espreitou. Lá estava ele. De pé, calmo, perto da porta. “Claro, se eu tivesse reflexos de mim, não me poria em perigo”, pensou. A porta foi destruída nesse momento, e Cassie gritou. Recuaram os três até Chelsea, e esta mandou os demónios todos de uma vez para fora do quarto.

- O que fazemos? – Perguntou Richard – Chelsea, o que fazemos?!

A rapariga respirou fundo. Will sempre lhe disse para confiar nos seus instintos. Se estivesse errada, os amigos morreriam. Se não estivesse, podia rezar para chegar ao demónio a tempo.

“Eu estou certa”, teve a certeza.

- Confiam em mim – respondeu, dando algumas passadas para longe da janela para dar impulso. Começou depois a correr até ela e mandou-se, partindo o vidro e dando um salto mortal perfeito, aterrando no chão. O demónio rapidamente se voltou para si, e Chelsea sorriu-lhe – Apanhei-te, seu filho da mãe – afirmou, mandando-lhe um pedaço de vidro, que tinha agarrado quando saltara, directamente ao coração, fazendo-o partir-se aos bocados, literalmente, como um espelho. A ruiva sorriu, e olhou para a janela, onde os seus amigos apareceram pouco depois. Estavam curiosos, e pareciam muito mais descansados.

- Desapareceram! – Afirmou Richard. Chelsea suspirou de alívio.

- Desçam – disse ela – Devo algumas explicação à Cassie.

Enquanto esperava que eles chegassem até ela, viu Will e Jensen virem a correr, no início da rua, e sorriu-lhes. Eles olharam para todos os lados, e pararam à frente dela.

- Estão atrasados! – Afirmou-lhes.

 

 

- Vai doer? – Perguntou Cassie.

Tinham ido todos para casa de Will e, neste momento, encontravam-se na sala dele. Jensen estava encostado à parede, tal como PJ, e Richard estava sentado no sofá com Will. Chelsea encontrava-se de pé, ao lado de Oyuan, que estava de frente a Cassie.

- Não – afirmou o Guardião – Nada.

Cassie assentiu com a cabeça e fechou os olhos ao ver a mão do Guardião aproximar-se dela. Ele apenas lhe pousou dois dedos na testa e fechou também os olhos, mexendo os lábios pronunciando qualquer coisa inaudível. As memórias vieram tão rápido como o quanto tinham desaparecido. Todos os pormenores, desde Cassie ter conhecido Chelsea no Drink&Tell até às conversas das duas sobre o mascarado, e à sua morte no início do Verão passado. Quando abriu os olhos, Oyuan sorriu e viu Cassandra abrir os seus logo de seguida. A rapariga olhou perplexa para Chelsea e a ruiva viu os seus olhos ficarem mais brilhantes.

- Oh meu Deus… - murmurou Cassie, fixada em Chelsea – Chelsea! – Precipitou-se num abraço para a amiga, bem apertado, e esta retribuiu com o maior dos sorrisos.

- Consegues-te lembrar? – Perguntou a rapariga dos caracóis ruivos.

Cassie assentiu e fungou, largando-a, com um sorriso nos lábios.

- Não consigo acreditar que não me lembrava antes. Aconteceram tantas coisas depois daquilo… e aquilo, não acredito que aquilo aconteceu. Estava a ir para casa quando aquela Bruxa me apanhou. Lembro-me de estar aterrorizada, mas sabia que me ias ajudar.

- Mas não ajudei – murmurou Chelsea, com voz de choro.

Cassie assentiu com a cabeça, e, de novo, sorriu-lhe.

- Mas deste o teu melhor. E salvaste o mundo. Oh Chelsea… - outra vez, abraçou-a – Obrigado por me ajudares a lembrar-me de ti outra vez. Temos tanta coisa para falar, tanta coisa…

- E vamos chegar a isso tudo – garantiu a ruiva – Prometo. Oh Cassie, estou tão contente!

- O teu irmão também? – Perguntou Oyuan, para Chelsea, ao que ela assentiu. Sim, Richard iria ter de volta as memórias do que passou no ano passado, com as Bruxas. Talvez assim parasse de se colocar em situações perigosas e começasse a ter mais um pouco de juízo.

 

 

- Hoje sorriste – observou Jensen, fechando a porta do quarto da namorada. Chelsea deixou-se cair sentada na cama e olhou para ele com uma expressão de interrogação. Não estava a perceber – Quer dizer, sorriste mesmo. Sem teres que fingir.

Ela sorriu-lhe, e encolheu os ombros.

- Hoje foi um bom dia – explicou – A Helen sabe a verdade, a Cassie e o Richard têm as memórias de volta e o PJ… sabe de tudo também. Sinto-me mais leve.

Jensen sorriu-lhe e sentou-se na cama ao seu lado, deixando um suspiro escapar-lhe de seguida.

- Isso é bom – proferiu.

Chelsea olhou para ele e desviou-lhe os cabelos negros dos olhos azuis, observando-o com atenção.

- Queres-me perguntar qualquer coisa – deduziu, fazendo-o olhar para ela surpreendido.

- Hoje foi um bom dia – ele repetiu as palavras antes por ela ditas, e encolheu os ombros –, podemos falar amanhã.

A rapariga dos caracóis ruivos abanou a cabeça e colocou-se toda em cima da cama, de pernas cruzadas, voltada para o namorado.

- Podemos falar agora – insistiu – Pergunta Jensen.

Ele suspirou, e colocou uma perna em cima da cama para se voltar ligeiramente para ela.

- Tens a certeza que estás bem com isto tudo? – Tentou certificar-se – Ser a Defensora de novo? Nunca o quiseste Chels.

Ela assentiu.

- Ainda não sei – confessou – A verdade é que voltou tudo demasiado depressa, e ainda mal tive um segundo para pensar. Mas eu quero fazer isto, quero fazer as coisas bem feitas. Não é justo que tenha que ser eu… mas se não o fizer, ninguém mais o fará, e o mundo vai acabar. Além disso, quero apanhar o assassino do Tony.

- O que aconteceu no parque no sábado… não vou mentir…

- Assustou-te – Jensen assentiu – Assustou-me a mim também. Tentei não pensar nisso, mas hoje tive medo que acontecesse outra vez. Aconteceu porque me descontrolei, as minhas emoções estavam, estão, todas baralhadas e são elas que controlam os poderes.

- Mas isso nunca tinha acontecido.

- Os meus poderes vêm da Escuridão, Jensen – o rapaz ficou a olhar para ela, especado – É verdade, disse-me a Faith. Mas de alguma maneira foram tornados em algo bom, apesar de o mal não os ter largado por completo. Compete-me a mim lidar com eles, e usá-los bem. Naquele momento, no parque, descontrolei-me. Estava tão chateada, queria vingança, e cruzei a linha. Esqueci-me que o meu “trabalho” era defender, e não punir.

- Vêm da Escuridão? E tens a certeza disso? – Chelsea assentiu – Mas isso não quer dizer que a Defensora é má?

- Os teus poderes vêm da Escuridão, és um antigo Príncipe de lá. És mau?

- É diferente.

- Sim, porque tu escolheste o bem, e já tinhas experimentado o mal. No meu caso, o bem foi-me imposto e não me posso descontrolar. Nunca o tinha percebido, porque nunca me tinha sentido daquela maneira… mas não é necessariamente uma coisa má. Posso usá-lo para o bem, se o aprender a controlar.

- E como é que vais aprender isso?

A rapariga encolheu os ombros.

- Vou pedir ajuda ao Oyuan, ao Will… a ti. Vamos ter paciência, e tentar coisas diferentes… é muito poder e, se o usar bem, pode ser uma grande vantagem.

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Imagem de perfil

De ♥ Annie ♥ a 15.01.2014 às 19:57

OMDDDDDDD ESTOU TÃO FELIZ POR VOLTAR A LER ESTA HISTORIA!!!!
Tive de voltar a ler o capitulo anterior para me situar melhor..
Ohhhhhhhhhh a Cassie já se lembra. Foi tão fofoooo, adorei!
O meu amor pelo Richard e pelo Jensen não se desvaneceu. Continou a amá-los incondencionalmente s2s2
Ai estou mesmo feliz que a defensora esteja de volta!!
Imagem de perfil

De Andrusca ღ a 15.01.2014 às 20:41

ahah, ainda bem que gostaste ^^
Sem imagem de perfil

De Bruna a 15.01.2014 às 23:24

Adorei o capítulo:) A Chelsea em ação, a Cassie a recordar-se de tudo e tudo a parecer que as coisas estão a correr bem, dentro dos possíveis claro. Afinal a Chelsea é a Defensora do Oculto e tem de salvar o mundo xD
Ansiosa pelo proximo.
Beijinho
Imagem de perfil

De Andrusca ღ a 16.01.2014 às 20:33

obrigada Bruna :b

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor




The Ghosts

web counter free