Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A Sombra Atrás de Mim

por Andrusca ღ, em 03.05.14

Sei que mais uma vez o blog tem andado mais parado, peço-vos desculpa.

Vá lá, aproveitem para comentar e me dizerem o que andam a achar da história (:

 

Capítulo 9

Grande Festa * Parte 1

 

- Não sei Lydia… não me apetece muito ir sair – disse Stacey, deixando-se cair sentada na cama.

- “Vá lá, queres sim. As festas das gémeas são sempre fenomenais, elas têm aquele casarão enorme… sabes que vai ser de morrer!” – Insistiu consigo a amiga.

- Eu sei mas… Acho que vou ficar por casa… Isso vai acabar super tarde, depois venho sozinha e…

- “Não podes deixar de viver por causa daquilo que nós sabemos” – continuou Lydia a insistir – “Costumavas adorar estas festas, nunca perdíamos uma. Sei que queres vir, não precisas de ter medo. O Ollie e eu vamos estar lá, e o Rex diz que também lá vai ter mais tarde. Não te deixamos sozinha, prometo. Vais estar segura”.

- Segura Ly? No meio de uma carrada de adolescentes bêbedos?

- “Sem ofensa… mas tu gostas de fazer parte desse grupo” – ambas se riram – “Talvez estejas a precisar de uma noite longe dos problemas, já pensaste nisso?”

Stacey respirou fundo e olhou em volta. Sim, sentia-se como uma prisioneira naquelas quatro paredes. Sempre que não estava na escola fechava-se naquele seu espaço. Os seus pais já começavam a desconfiar que algo se passava, e se no passado era tudo o que ela queria que acontecesse, agora não se podia dar ao luxo de que desconfiassem que algo de errado ocorria. Qualquer desconfiança podia pô-los no radar do assassino, e isso era tudo o que a rapariga menos queria.

- Talvez tenhas razão – acabou por dizer, “nem que seja apenas para manter as aparências”, acrescentou por pensamento – A que horas nos encontramos?

- “Eu e o Ollie vamos ter contigo às dez horas, pode ser?”

- Claro, cá vos espero.

Stacey desligou a chamada e deixou-se cair para trás, respirando de um modo profundo por algum tempo. Estava quase na hora de jantar, e uma vez mais teria de pôr uma cara feliz enquanto se sentia a desaparecer por dentro. Quando a mãe a finalmente chamou, desceu as escadas daquela casa na qual já não se sentia a cem por cento segura e ajudou-a a colocar a loiça na mesa. Sentaram-se os três e começaram a comer em silêncio, como agora faziam quase sempre.

- Como foi a escola? – Começou o pai a meter conversa.

- Foi normal – Stacey, como de habitual, foi evasiva na sua resposta – Mas é verdade, vou a uma festa hoje à noite.

Os seus pais, surpreendidos, trocaram um olhar.

- Onde? – Perguntou-lhe a mãe.

- É na casa das gémeas. A Ly e o Ollie passam por aqui para me darem boleia – explicou – É sexta-feira, e vocês já sabem como estas festas são, por isso não me esperem acordados.

Outro olhar foi trocado por eles. A verdade é que não gostavam muito que a filha andasse nessas andanças, porém tinham visto isto erradamente como um sinal de que poderia estar a regressar ao normal e como tal não queriam fazer nada que pudesse retroceder esse processo.

- Diverte-te, querida – disse-lhe a mãe, fazendo-lhe um sorriso. Stacey assentiu com a cabeça e a refeição continuou. Quando terminaram ajudou a mãe a arrumar as coisas na cozinha e foi tomar um duche rápido, para depois se ir despachar.

Ficou especada em frente ao armário a pensar no que vestir. Sentia que tinha sido há séculos que tinha ido a uma festa destas. Optou por um vestido preto, curto, e uns All-Star vermelhos, a condizer com a cor do batom que sempre usava. Após fazer uma trança com o cabelo ficou despachada, por isso ligou o computador e ficou a fazer tempo até que os amigos chegassem.

Às dez horas em ponto a campainha tocou e ela, já sabendo de quem se tratava, saiu de casa e entrou no carro do amigo. Seguiram para a casa das gémeas, uma vivenda enorme, com piscina das traseiras, e perto de um pequeno parque. Era habitual fazerem-se festas nas casas de uns e de outros, mas as que as gémeas davam eram simplesmente as melhores. Não que tivessem algo de diferente, havia os barris de bebidas, as milhentas garrafas de álcool, os ocasionais jogos de poker, os clichés de adolescentes bêbedos e excitados a tirarem proveito dos quartos, mas havia qualquer coisa naquele ambiente que era especial.

- Já estava a precisar disto! – Afirmou Lydia, assim que saiu do carro.

- Gostas pouco destas coisas gostas – brincou o namorado.

Assim que entraram para o hall viram que já lá estava meia escola. Até quem não tinha sido convidado se encontrava lá, como de habitual.

A música estava aos altos berros, os corpos abanavam-se desajeitadamente enquanto tentavam roçar-se uns nos outros ao máximo e estava um calor insuportável.

Rex mandou uma mensagem a Oliver a avisar que ia chegar um pouco mais tarde que o previsto, e por isso os três amigos misturaram-se com os outros e começaram a dançar. Entre um movimento de ancas e um abanar de cabelo, os olhos de Stacey foram parar a um corpo junto da janela. Por momentos sentiu um nó na garganta mas, ao ver que também ele a mirava, esforçou-se por lhe esboçar um sorriso. Afinal, não tinham acabado as coisas em maus termos… não tinham concordado que não podiam ser no mínimo civilizados. Porém ele não lhe sorriu. Em vez disso deu um gole no copo de plástico cheio de cerveja e mudou-se para um sítio fora da vista dela. Stacey engoliu em seco, não percebia o que estava ali a fazer, Clayton nunca fora o tipo de pessoa que gostasse destas festas. E, para dizer a verdade, nunca fora dos mais bem recebidos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Imagem de perfil

De Yria Rivers a 06.05.2014 às 22:13

aiii venho ler assim que conseguir
Imagem de perfil

De Yria Rivers a 09.05.2014 às 19:33

eu não quero desconfiar do clayton -.- ele parece estar a sofrer tanto -.- coitadinho
adorei ^^

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor




The Ghosts

web counter free