Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A Sombra Atrás de Mim

por Andrusca ღ, em 26.03.14

Capítulo 6

Festa do Pijama

 

Stacey estava à entrada da escola com um ar aflito e um certo nervoso miudinho. Depois do telefonema que tinha recebido há alguns dias que não conseguia relaxar, e ontem tinha recebido outra notícia má: os pais iam passar esta noite fora porque tinham ganho uma noite grátis num hotel de cinco estrelas acabado de estrear e era uma oportunidade que não podiam desperdiçar. A sua faceta paranoica pôs-se logo com suposições de todo o género, “e se foi o assassino que os quis levar para longe para me apanhar?”, “e se isto não passa de um estratagema para me raptarem ou pior?”. Os pais primeiro perguntaram-lhe se não se importava, se ficava bem, e fazendo-se de forte a rapariga disse-lhes para irem, apesar de agora tremer de uma ponta à outra só de pensar que ia passar uma noite completamente sozinha. Então tinha arranjado a solução perfeita, mas infelizmente via toda a gente menos a pessoa que queria.

- Lydia! Lydia! – Guinchou quando finalmente viu a amiga a chegar e correu até ela. Lydia olhou-a admirada e ficou à espera que falasse – Sabes há quanto tempo é que não temos uma noite de raparigas?

- Stacey… o que é que queres? – Perguntou desconfiada. A outra suspirou.

- Os meus pais vão sair por esta noite, e… bem… tenho medo de ficar sozinha em casa.

Nesse momento Clayton, que ia a passar perto delas e ouvia discretamente a conversa, foi de encontra a um rapaz que começou a armar uma pequena confusão, interrompendo-as. Os olhares de Clayton e Stacey cruzaram-se antes de ele se afastar e entrar para dentro dos corredores.

- O que é que estavas a dizer? – Retomou Lydia.

- Queres ir lá dormir hoje? Por favor Lydia… por favor… É sexta-feira, por isso podemos ficar acordadas até tarde e…

- É claro que vou – a rapariga riu-se perante o embaraço da melhor amiga e depois abraçou-a – Sabes que adoro festas do pijama em tua casa. Vai ser giro.

Stacey respirou fundo. “Desta já me safei”, pensou, “embora não acho que giro seja a palavra certa para descrever esta noite”.

Quando tocou para a primeira aula as raparigas entraram e ocuparam os lugares devidos, Lydia começou imediatamente a fazer rabiscos no caderno, enquanto Stacey se limitou a fixar um ponto na parede e a não o largar até a campainha voltar a tocar. Tinha tanta coisa na cabeça, tanta coisa em que pensar. Clayton era um desses assuntos. Sentia-se triste pela relação de ambos ter terminado, embora admita que aos olhos de outros nunca se tivesse tratado realmente de uma relação. “Amo-o, mas não o podia assumir”, deu por si a pensar. Não o podia assumir por causa de Adrien, que agora repousava na sua campa e cujo assassino a perseguia sem que ela compreendesse o porquê.

O dia correu na normalidade e quando as aulas terminaram a rapariga dirigiu-se para casa sozinha. Apanhou os pais de saída, já com as malas nas mãos, prontos para a sua noite longe de tudo.

- Não te esqueças que a rede dos telemóveis lá é má – advertiu-lhe a mãe.

- Não te preocupes que ficamos bem – falou-lhe o pai.

- E tu querida, ficas bem? – Voltou a falar a mãe, fazendo-a respirar fundo.

- Talvez isto seja bom para todos – limitou-se Stacey a dizer – Talvez todos precisemos de espaço e afastamento desta história toda.

Assim que eles saíram a rapariga trancou a porta. Após engolir em seco subiu para o andar de cima e tomou um banho bem rápido, sempre com a impressão de que ouvia barulhos pela casa que a arrepiavam desde a ponta dos pés à dos cabelos. A amiga não tardaria a chegar, iam encomendar pizza e jantar juntas como costumavam sempre fazer, mas estes poucos minutos pareciam demorar uma eternidade a passar.

Stacey desligou o chuveiro e colocou a toalha em redor do corpo, quando saiu da banheira notou no vapor que estava na casa de banho, e por isso decidiu abrir a pequena janela ao lado do lavatório. Quando chegou ao pé da porta, fechada, sentiu-se a congelar de medo. Não conseguia tirar da sua cabeça que estava a ser vigiada, perseguida, e isso deixava-a aterrorizada.

- Oh rapariga, estás a ficar paranoica – disse, em voz alta, numa tentativa de arranjar coragem.

Virou a maçaneta a medo e quase correu para o quarto, já estava a ficar escuro. Vestiu o pijama e fez um carrapito com o cabelo negro ainda molhado. Assustou-se com o som da campainha e deu um pequeno pulo, porém exigiu-se recompor-se e desceu as escadas. Após espreitar pela janela ao lado, abriu a porta à amiga, que estava como sempre com um sorriso nos lábios.

- Pronta para uma noite de raparigas? – Perguntou-lhe.

- Acho que estou a precisar muito dela – admitiu Stacey, deixando-a passar.

- Já liguei para encomendar a pizza, deve chegar daqui a nada – informou Lydia enquanto pousava a sua mochila no sofá e se deixava cair para lá, apoderando-se do comando da televisão e começando a fazer zapping. Não se enganou, ainda não tinha passado meia hora quando o jantar de ambas chegou, e notou o facto de a amiga, uma vez mais, ter ficado alarmada com o som da campainha – Então Stacey, como é que estás? – Perguntou, enquanto ambas comiam uma fatia de pizza cada uma sentadas no sofá.

- O que queres dizer?

- Estás estranha… quer dizer… no começo pensei que fosse por causa, tu sabes, do Adrien… Mas não é, pois não?

Stacey engoliu em seco e deu um gole no seu sumo.

- Estou bem, Ly.

- Não, não estás. Estás sempre no limite… assustada… Disseste que tinhas medo de ficar sozinha em casa hoje à noite, porquê? Nunca tiveste medo do escuro, isso eu sei. Eu sou tua amiga, a tua melhor amiga. Conta-me o que se passa contigo.

Stacey pousou o sumo e a fatia da pizza já meio comida e respirou fundo, sentindo um aperto no peito. Contar-lhe o que se passava? Que sentia uma culpa enorme por Adrien ter morrido a amá-la, quando na realidade ela o andava a trair? Que se sentia despedaçada por dentro pelo facto de não conseguir estar com o rapaz que ama? Não… por muito maus que esses assuntos fossem, nenhum deles era o pior.

- Se eu te contar isto, não podes contar a ninguém. Tens de me prometer, Lydia. A ninguém – disse, mostrando a gravidade da situação, assustando a amiga.

- Prometo. Diz-me.

- Acho que alguém me anda a perseguir. Acho… acho que o assassino do Adrien me anda a perseguir…

 

O que será que vai acontecer agora que a Lydia sabe a verdade?

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Imagem de perfil

De Miguel Alexandre Pereira a 27.03.2014 às 16:33

Fiquei com enorme curiosidade de ver qual será a reação, estou em pulgas para o próximo capítulo. Muitos parabéns pelo enrendo muito bem elaborado e construído :)
Imagem de perfil

De francis marie a 27.03.2014 às 19:45

ela parece eu, quando estou sozinha em casa de noite sou uma autentica medricas kkk
Sinceramente não sei o que vai acontecer agora que a Lydia sabe a verdade, para saber, tens de por os próximo, né?
Está lindo, quero mais!
Imagem de perfil

De ♥ Annie ♥ a 27.03.2014 às 20:18

Ai a coitada da rapariga esta mesmo assutada.. tambem nao e para menos. Eu acho que ficava pior!
Nem sei se a Lydia saber sera bom ou mau.. Ele agora pode querer ir atras dela, por saber a verdade.. aii espero que naoooo!
Adorei querida s2
Imagem de perfil

De Yria Rivers a 30.03.2014 às 14:40

A stacey parece-se comigo quando está de noite e eu tenho que ir até ao meu corredor e começo a pensar em monstros ahahahah nessas alturas até parece que tenho 5 anos
adorei ^^ espero que a lydia reaja bem.
se postares depois de quinta é provável que eu não vá conseguir ler os teus capitulos porque vou ter o baile e a viagem e vir cá com esta net assim é quase impossível

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor




The Ghosts

web counter free