Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A Defensora do Oculto - O Ceptro da Pureza

por Andrusca ღ, em 16.10.13

Sinto que já não há o mesmo interesse pela história como costumava haver, e eu também não tenho postado tão regularmente.

Espero que gostem e se têm tempo de ler, têm tempo de comentar, não custa nada (:

 

Capítulo 3

A Verdade * Parte 2


Chelsea engoliu em seco e fechou os olhos. Helen podia ficar a odiá-la depois deste momento, mas ela não ia mentir mais, não ia perder mais ninguém por os deixar na ignorância. E a melhor maneira de a fazer acreditar nela, era mostrar-lhe. Num segundo era Chelsea Burke, a rapariga desajeitada do liceu, e no outro era a grande Defensora do Oculto, a guerreira respeitada por grande parte da população – Eu sou a Defensora do Oculto, Helen.

 

 

- Há uma coisa que precisas de saber – Jensen e PJ estavam encostados a uma árvore no campus da universidade. Estavam afastados de todos os outros estudantes, e Jensen preparava-se para dizer tudo a PJ sobre o Reino da Escuridão e a Defensora do Oculto, mas não sabia exactamente como. Chelsea tinha-lhe pedido que dissesse isso ao amigo, e ele até tinha essa vontade, tornaria as coisas muito mais fáceis.

- Fala meu! Estás nisso há minutos! – Apressou-o PJ, dando-lhe uma pancadinha no ombro.

- Pronto! – Exclamou o rapaz dos olhos azuis, passando o peso do corpo de uma perna para a outra, e com as mãos dentro dos bolsos das calças de ganga – A Chelsea é a Defensora do Oculto, eu sou a reencarnação de um Príncipe da Escuridão e juntos lutamos contra demónios e Bruxas! Pronto, já está!

PJ ficou a olhar para ele pasmado. Por segundos Jensen não conseguiu captar nenhuma emoção vinda do amigo. E depois, sem qualquer aviso, PJ desatou a rir à gargalhada.

- Que graça é que tem?! – Reclamou Jensen.

- Meu… eu adoro a Chelsea mas… ela? A Defensora do Oculto? – PJ riu mais, e Jensen suspirou. “Por isto é que eu queria pensar numa maneira decente para lhe contar”, resmungou para si. Ele tinha que admitir, imaginar Chelsea como uma heroína era complicado.

- É verdade! – Reforçou.

- O que é que é verdade? – Richard chegou por trás deles e PJ, ainda a rir-se, pousou a mão no ombro dele.

- O Jensen ficou maluquinho. Agora diz que a tua irmã é a Defensora do Oculto e ele é… ele é… olha lá, tu és o quê mesmo? – Perguntou ele.

Richard olhou para Jensen, que encolheu os ombros.

- Um dos Príncipes da Escuridão – quem falou foi o irmão da ruiva, e PJ olhou para ele desconfiado.

- Como é que sabes? – Perguntou-lhe – Foste comer a casa, ele só me disse agora.

- Porque é verdade – afirmou Richard, o que fez com que a vontade de rir de PJ se dissipasse um pouco – Jensen, o que é que te deu para lhe dizeres?

- A tua irmã pediu-me. E sinceramente até acho boa ideia. Só de serem nossos amigos, vocês estão logo expostos aos perigos todos. Olha o que aconteceu ao Tony! O PJ tinha o direito de saber, mano.

Richard assentiu e depois olharam os dois para PJ, que olhava para um e para o outro alternadamente.

- Espera lá. Recapitula – pediu ele – Vocês estão a falar a sério? Quer dizer… mesmo a sério? Não estás a gozar comigo? – Jensen abanou a cabeça e PJ suspirou, apoiando-se em Richard – Não pode ser… não é possível, a Chelsea é… é a Chelsea, por amor de Deus! É a “nossa” bebezinha.

- Eu sei, acredita – afirmou Richard – Já sei há alguns meses e ainda me custa a acreditar. Mas se pensares bem faz sentido, ela nunca esteve no mesmo sítio que a Defensora do Oculto ao mesmo tempo.

PJ esteve em silêncio por um pouco, e depois falou:

- Não é verdade! Daquela vez que fomos feitos reféns na mercearia, ela estava lá, e depois a Defensora apareceu e… - ele calou-se de repente, e voltou a suspirou – mas só apareceu quando a Chelsea foi à casa de banho…

- Exacto! – Exclamou Jensen – É verdade, PJ, acredita em nós.

- Se estão a gozar comigo… olhem que isto não tem graça pessoal – disse PJ, ainda na dúvida.

- Não estamos – garantiu Richard – A minha irmã é a Defensora do Oculto. E é bastante boa, na verdade.

 

 

Helen permanecia em silêncio, sentada na cama, há vários minutos. Chelsea nada dizia, de pé, em frente à amiga. Compreendia que podia precisar de algum tempo para assimilar tudo. Que era demasiada informação ao mesmo tempo. Aos poucos deixou que a luz roxa lhe voltasse a banhar o corpo para lhe devolver as roupas que tinha antes de se transformar, e depois suspirou.

- Helen, por favor, diz alguma coisa – suplicou, sem saber se devia aproximar-se da amiga ou se Helen não o queria, se tinha medo dela ou algo do género.

O olhar da morena elevou-se aos olhos verdes de Chelsea e a ruiva não conseguiu ver no que a amiga pensava. Talvez ainda estivesse em choque.

- Helen… - a voz de Chelsea foi interrompida quando Helen, subitamente, se levantou e a abraçou com bastante força, para sua surpresa. Ainda hesitante, Chelsea pousou as mãos nas costas da amiga e, quando se desviaram, viu que Helen chorava.

- Ele morreu contigo? – Perguntou-lhe, com a voz meio sumida. A ruiva assentiu, sentindo um nó na garganta – Ele… ele sofreu?

- Não sei… não pareceu… ele estava bastante calmo na verdade – Chelsea puxou Helen até à cama e ambas se sentaram nela, depois limpou as lágrimas da amiga com o dedo e sorriu-lhe debilmente.

- Desculpa não te ter contado antes – afirmou – Mas agora posso-te contar tudo o que quiseres saber. Pensava que se não vos contasse vos estava a manter fora disto, mas não era verdade. Estou farta de ver os meus amigos magoarem-se por não saberem nada.

Helen assentiu e sorriu-lhe.

- Não te devias culpar – afirmou, para surpresa de Chelsea – Salvaste-o dezenas de vezes. Eu lembro-me, estava com ele em algumas delas. A culpa não foi tua, é só… é esta maldita cidade. Esses malditos seres que vieram para cá. Tu salvaste muitas pessoas Chels, o Tony… talvez estivesse na hora dele.

- Pensei que me fosses odiar – admitiu Chelsea, respirando fundo –, por não o ter conseguido salvar.

Helen abanou a cabeça.

- Porque paraste? Nestes últimos meses, porque paraste de lutar?

- Não conseguia… ainda… ainda me custa. Cada vez que pensava num demónio via o Tony, deitado no chão do parque, a morrer… O Jensen e o Will mataram alguns deles, mas eu sei que não era a mesma coisa.

- O Jensen e o Will? Como assim?

- Respira fundo, vou-te contar a história toda.


Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

Imagem de perfil

De ♥ Annie ♥ a 20.10.2013 às 23:10

É isso Jensen, em vez de dizeres as coisas com calma, de forma a que ele perceba e tal, não, dizes logo as coisas dessa maneira, mesmo para ele pensar que estas a gozar com a cara dele -.- HAIAI...
Mas gostei da reação dele
''Não pode ser… não é possível, a Chelsea é… é a Chelsea, por amor de Deus! É a “nossa” bebezinha.'' mas adorei mesmo!
E a Helen oh god, obvio que tambem chorei. O sofrimento delas é tão mau, principalmente o da Chelsea que o viu morrer, mesmo no seu colo.
Continuou a chorar nestas partes assim
Adorei querida, adorei mesmo. Continuou a adorar cada palavra que escreves <3
Sem imagem de perfil

De Fátima a 23.10.2013 às 22:42

Heii :D Espero que ainda te recordes de mim, da fantasminha Fátima :P Eu, infelizmente, fiquei sem computador, pouco tempo depois de me apresentar aqui, devido a uma avaria :c Mas tou de voltaa e até já disponibilizei 1h todos os dias para vir aqui :P Vou reler todas as tuas histórias mini histórias e fanfics e aguardar ansiosamente por novos capítulos :)
Confesso, durante este tempo que estive sem computador senti-me...como explicar??...mal, era quase como que uma tortura para mim sentir tanto a falta do meu bebé ( sim, o meu computador é o meu bebé :3 ) como a falta do teu blog, destas tuas histórias que são tão lindas, tão perfeitas que nem sei como as caracterizar eheheheh mas a sério, foi mesmo torturante não vir aqui... Todos os dias me perguntava se já terias publicado muitos capítulos, quantas mais histórias terias criado... Aii jasus ! Nem imaginas!
Mas agora voltei, pra ficar, e como sou fixe, vou vir cá todos os dias chatear :P
Tou viciada nas tuas histórias!!!! E olha que acho que é a 1ª vez que isto me acontece: gostar de TODAS as histórias de uma pessoa e viciar-me desta maneira...é muito raro isto acontecer.

Bem, deixo-te aqui este "testamento" :P
Beijinhos e parabéns pelo teu explêndido trabalho, ganhaste uma fan pra vida! :)
Kiss Kiss ,
Fátima Amaral.
<3
Imagem de perfil

De Andrusca ღ a 24.10.2013 às 22:19

oii querida, adorei o teu testamento!
ainda bem que já tens pc, não só por causa do blog mas por tudo, que vida sem pc é como dizes, tortura.
ainda bem que estás de volta às minhas histórias e nem sabes como fico feliz em ler o que escreveste :3
espero continuar a ver-te por aqui fantasminha :b
muito obrigada Fátima, beijinhos*

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor




The Ghosts

web counter free