Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




DDO: Batalhas sem Fim

por Andrusca ღ, em 27.07.13

Capítulo 16

Yeti, o Homem das Neves * Parte 2


Quando Chelsea acordou sentiu um pequeno peso na sua bochecha esquerda, e sacudiu o que quer que fosse, voltando-se de lado no beliche de baixo. Abriu os olhos a tempo de ver uma aranha grande e peluda cair da sua bochecha e ficar na sua almofada.

- Ah! – Gritou ela, rebolando e caindo no chão. Ouviu gargalhadas e olhou para o beliche que Dana partilhava com Elise, vendo-as às duas a rir. Cassie, acordada com o barulho, espreitou da cama acima da de Chelsea e olhou com desagrado para as colegas do outro beliche, quando percebeu o que tinha acontecido.

- Vocês deviam ter vergonha – resmungou ela, levantando-se.

Chelsea levantou-se do chão e agarrou na sua pequena malinha que tinha levado com os produtos de higiene, depois de mandar a aranha para o chão e de esta se ter enfiado por um dos buracos da madeira. Voltou-se para as duas inimigas e, com uma cara séria, falou.

- Isto não fica assim – garantiu, antes de sair e de se dirigir para a casa de banho.

Já tinham passado dois dias e nem Chelsea, nem Cassie, podiam aguentar mais as piadas de mau gosto das colegas de quarto. Era pior que o purgatório.

Depois de se despachar e de vestir uma roupa bem quente, desceu para ao pequeno-almoço e juntou-se ao irmão, ao namorado e aos amigos numa mesa. Comeram com calma, entre conversas engraçadas e gozos, até que um a um foram dispersando e só ficou ela e Jensen.

- O que vamos fazer hoje? Esqui outra vez? – Perguntou-lhe ele.

- Porque é que não vamos dar uma volta? – Sugeriu a ruiva – Não me apetece fazer esqui outra vez.

Após vestirem os casacos, saíram da estância e começaram a caminhar pela montanha, sempre com o cuidado de não se aproximarem do bosque nem de irem para muito longe. Fizeram uma luta de bolas de neve que acabou com os dois no chão, a rir à gargalhada, e namoraram durante um bom tempo. Quando decidiram voltar à estância, Chelsea ouviu um pequeno ruído vindo do bosque, e arrepiou-se dos pés à cabeça, parando nesse mesmo momento. Jensen, que tinha a mão entrelaçada na dela, também parou e ficou intrigado com o barulho que tinha vindo de detrás dos arbustos.

- Vamos averiguar – propôs, puxando a namorada. Chelsea engoliu em seco, sabia que não era boa ideia. O bosque era perigoso, tinha demasiadas armadilhas criadas pela Mãe Natureza, que se agravavam ainda mais com a neve. Ainda podiam cair num penhasco e nem sequer dar por isso.

O casal de namorados caminhou durante algum tempo dentro do bosque e não encontrou nada de extraordinário, até que Chelsea, sem ver por onde andava, caiu dentro de um buraco. Jensen ajudou-a a levantar-se, e só depois é que ela viu o que aquilo era.

- Jensen! – Exclamou, baixo e pasmada – Isto é uma pegada…

Era gigante. Maior do que o comprimento de Chelsea.

- Achas… - Jensen ia fazer uma pergunta algo parva, mas não via o motivo de estar errada – Achas que é do Homem das Neves? – Chelsea olhou para ele e primeiro riu, mas depois encolheu os ombros. Aquilo não era normal, isso era uma certeza – Vamos sair daqui.

Quando se voltaram viram um monstro grandíssimo e ambos recuaram, em choque. Tinha um pêlo branquíssimo como a neve, e uns olhos num tom de rubi. O focinho dava-lhe um ar engraçado, querido e intimidador ao mesmo tempo, e estava apoiado apenas nas patas traseiras. Era do tamanho de talvez um andar de uma casa, mas não dava qualquer índice de que pretendia atacar os jovens.

- Não faças movimentos bruscos – sussurrou Jensen. Mas Chelsea estava pasmada com a beleza do animal.

- É um Yeti – murmurou ela, soltando-se da mão do namorado e dando um passo em direcção ao monstro – É mesmo um Homem das Neves.

- O que é que estás a fazer?!

- Tem calma… ele é quieto… não me vai magoar – Chelsea esticou o braço e a sua mão tocou no pêlo do Yeti, acariciando-o. Era o pêlo mais macio que Chelsea alguma vez tinha sentido. A rapariga dos caracóis ruivos sorriu, e o Yeti dobrou-se e deu-lhe a cabeça, para que ela lhe fizesse festas lá também – Jensen, anda cá, é fantástico…

- Eu… - Jensen engoliu em seco e aproximou-se da rapariga, encostando também a sua mão ao pêlo do animal – Isto não pode ser… eles são reais?

- Sim… são maravilhosos… - admirou ela, rindo-se.

De trás das costas, o enorme Yeti retirou os braços, e aproximou o direito da Defensora do Oculto, permitindo-lhe ver que tinha uma lasca de madeira, bastante grande, espetada na mão.

- Oh, coitadinho… - murmurou ela, retirando a lasca e fazendo com que o animal grunhisse.

Ficaram o resto do dia naquele sítio, pois Chelsea tinha levado umas sandes na mochila. Ainda nenhum deles conseguia acreditar no que estava a acontecer. Um Homem das Neves… se alguém lhes contasse, chamar-lhe-iam de louco.

Estava quase a anoitecer quando decidiram que estava na hora de voltarem para a estância, e quando se levantaram e se voltaram, outro Yeti estava na frente deles. O primeiro que tinham encontrado rapidamente tomou uma posição protectora, pondo-se à frente de Chelsea e do namorado, o que fez com que estes temessem o segundo Yeti, que sem esperar mais de cinco segundos, se mandou à enorme bola de pêlo que os protegia. O Yeti, para defender Chelsea, lançou-se ao outro e começaram os dois numa luta feroz, que abanava árvores e levantava neve, chegando até a torná-los quase invisíveis devido às suas cores. Jensen abraçou Chelsea e desviaram-se, e então viram o Yeti lançar o inimigo contra a montanha, com uma força paranormal, fazendo-o voar. Quando esse embate se deu, a neve começou a despegar-se da superfície rochosa e Chelsea abriu a boca de horror e olhou assustada para Jensen. Uma derrocada.

Antes que a neve chegasse até eles, o Homem das Neves colocou-se por trás e envolveu-os junto à barriga, protegendo-os da avalanche. Apenas quando se levantou e agarrou em Chelsea e em Jensen, pousando-os no seu ombro, é que a rapariga viu o rumo que a neve levava.

- A estância… - murmurou ela, horrorizada – Jensen, vai atingi-la!

Eles estavam num dos picos altos da montanha, e conseguiam ver a avalanche a aproximar-se rapidamente da enorme casa onde estavam hospedados.

- Temos que fazer alguma coisa! – Exclamou Jensen.

Chelsea olhou para o Yeti e depois para a estância, e então, como se ele a percebesse, começou a correr nessa direcção com eles nos ombros. Correu apenas até a um certo ponto, apenas até onde sabia que não corria o risco de ser exposto. E então parou.

- Não vamos lá chegar a tempo – pensou Chelsea, em voz alta, em pânico. Então teve uma ideia – Yeti… tu consegues mandar-nos para lá? – Jensen arregalou os olhos, a namorada só podia estar louca. Mas ela fez gestos e o Homem das Neves, contra todas as expectativas, percebeu-a – Jensen, transforma-te. Temos que levitar segundos antes de cairmos na neve, para não nos aleijarmos. É a nossa melhor hipótese.

Ele engoliu em seco, e, ao mesmo tempo que ela deixava que a luz roxa lhe banhasse o corpo e lhe desse as vestes de heroína, ele transformou-se também no rapaz mascarado.

A ruiva fez uma festa na cabeça do Homem das Neves e este agarrou nos dois com uma só mão, antes de os lançar. A velocidade era estrondosa, e Chelsea nunca teve tanto medo na sua vida. Era como estar a cair de um precipício, só que na verdade ia em linha recta. Abraçada ao namorado, apertou-o com força. Era como voarem, mas com mais força do que a que um TGV usa para passar pelos carris. Aterraram bem, dentro da pista de esqui, para espanto de muitos alunos. A avalanche já se começava a ver ao longe, e Chelsea voltou-se para ela.

- Todos para dentro da casa! – Gritou ela, enquanto apontava para o monte de neve que se aproximava velozmente – Avalanche!

Aqueles adolescentes que não ficaram pasmados pela sua presença lá aperceberam-se do perigo e fugiram, arrastando os outros com eles. Aos poucos todos iam entrando, e Jensen ajudou alguns a irem mais depressa.

- Chelsea! – Exclamou Richard, mesmo ao lado da irmã, já sem ninguém por perto – Que raios…?

- Vai para dentro! – Gritou-lhe ela – Vai para dentro agora mesmo! Eu trato disto!

Richard começou a correr na direcção da casa e Chelsea viu o manto de neve a aproximar-se cada vez mais. Segundos pareciam minutos a passar. Então, mesmo no caminho da derrocada, viu uma rapariga a correr desengonçada e cair. “Dana…”, pensou, vendo a arqui-inimiga caída na neve.

- Defensora! – Gritou Jensen, apontando para a rapariga no caminho da neve. Chelsea suspirou, claro que tinha que a ir ajudar. “Não a podíamos simplesmente deixar lá no caminho?”, pensou para si, retórica.

Correu um pouco até se aproximar dela e depois, com o poder de telicnese, fez com que ela saltasse do local onde estava e caísse em frente à porta, em pleno pânico. Dana entrou, atrapalhada, e Jensen correu até à namorada. Já não havia mais ninguém fora, apenas eles os dois. Todos os outros espiavam pela janela.

- Qual é o plano? – Perguntou o rapaz da máscara.

Chelsea engoliu em seco. Ela não tinha nenhum.

- Não sei.

- Tenta pará-la com o teu poder – aconselhou Jensen – Pode ser que resulte.

- Tens alguma ideia da quantidade de neve que ali está?! Eu não consigo fazer isso! – Afirmou ela.

- Consegues sim – Chelsea olhou para a neve e concentrou-se, porém apenas conseguiu com que pequenos pedaços de neve se soltassem do grande monte e saíssem para o lado. Jensen deu-lhe a mão e apertou-a firmemente – Chelsea, olha para mim – ela obedeceu – Tu consegues.

Assentiu perante aquele olhar azul e voltou a olhar para o manto de neve que já estava a pouco mais de dez metros deles e se aproximava de uma maneira selvagem. Apertou mais a mão de Jensen à medida que se concentrava e fechou os olhos. A corrida contra o tempo não ajudava, ela não conseguia fazer as coisas sob pressão. Precisava de um momento, de relaxar, de se concentrar nos poderes. Do seu peito, do lindo pingente roxo, uma luz da mesma cor começou a surgir mesmo a tempo de a avalanche chegar até eles e a impedir de os derrubar. Em vez disso, a neve passou por cima, como se tanto Chelsea e Jensen, como a casa, estivessem dentro de uma esfera invisível que por segundos ficou coberta de brancura. Os alunos, de dentro da casa, olhavam incrédulos para o que se passava, enquanto viam a Defensora de costas, com os cabelos lisos a abanar fortemente e de mão dada com o rapaz mascarado, e a neve a passar-lhes apenas por cima.

Quando a neve acabou, Chelsea fraquejou e Jensen agarrou-a. A esfera transparente tinha acabado, e tê-la feito tinha exigido bastante da Defensora, porém esta recompôs-se rapidamente. Quando se voltou para trás, viu os colegas a saírem da casa boquiabertos, e então começou a correr com Jensen ao lado.

 

  

- O que estão a fazer? – Perguntou Chelsea, ao chegar à sala de convívio onde Brad, Tony, Helen, PJ, Richard e Jensen estavam à volta de um computador.

- Vê isto – disse Helen, voltando o portátil para a amiga, permitindo-lhe ver a cena que se tinha passado no dia anterior, com a avalanche – Está por toda a internet. Foi incrível!

- Sim – concordou ela, deitando um olhar cúmplice ao namorado e ao irmão. Apenas eles saberiam a verdade –, foi mesmo incrível.

O momento foi interrompido por um berro infernal e uns passos barulhentos, que se dirigiram àquela mesma sala. Dana, vinda da rua, de pijama, dirigiu-se a Chelsea e ficou frente-a-frente com ela, apontando-lhe o dedo.

- Dormiste na rua? – Perguntou a Defensora do Oculto, contendo-se para não se rir.

- Tu – acusou Dana, de dedo espetado – Isto não fica assim.

Ela virou costas e Chelsea soltou uma gargalhada, porém conteve-se quando viu Cassie aproximar-se dela.

- Não sei como fizeste, mas foste tu, não foste? – Perguntou-lhe a rapariga dos piercings, também a rir-se.

- Como é que eu a podia ter posto a dormir na rua? – Perguntou Chelsea, inocentemente, piscando-lhe o olho.

Jensen abanou a cabeça e riu-se, e a namorada encolheu os ombros. “A culpa é dela, pôs-me uma aranha na cama… Salvei-a de uma avalanche, mas isso não quer dizer nada”, pensou a ruiva.

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Imagem de perfil

De ♥ Annie ♥ a 28.07.2013 às 16:31

Coitada da Chels... Essa Dana enerva mesmo uma pessoa!
AWWW, o Yeti e mesmo fofo. Tambem quero um para mim.
Ela é mais forte do que pensa, principalmente com Jensen a seu lado, apenas tem de acreditar em si...
AH, bem feita, boa vingança Chels!
AMEI <3
Imagem de perfil

De Raqueel a 28.07.2013 às 17:48

omg... uma aranha o: e um Yeti ? demaish *-*
Adoreiiiiii :D
Sem imagem de perfil

De Syrena a 29.07.2013 às 17:07

ahah a Chelsea pôs a Dana a dormir na rua bem feito
achei mesmo giro terem encontrado um yeti :)
beijinhos
Imagem de perfil

De Annie a 29.07.2013 às 18:32

Wow, um Yeri fofo - nunca pensei que tal coisa pudesse sequer existir.
Ainda bem que a Defensora e o Jensen conseguiram impedir uma tragédia a tempo. Quer dizer, eles conseguem sempre.
Beijinhos <3

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor




The Ghosts

web counter free