Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




DDO: Batalhas sem Fim

por Andrusca ღ, em 20.07.13

Capítulo 14

A Descoberta de Richard * Parte 1

 

Chelsea acordou com um enorme sorriso nos lábios, como tinha acontecido todos os dias durante a última semana. Era o seu primeiro dia das férias de Natal, e agora sim, podia estar com Jensen durante todo o tempo que desejasse. As coisas estavam a começar a encaminhar-se.

O seu telemóvel começou a tremer, em cima da mesa-de-cabeceira, e ela espreguiçou-se antes de atender.

- “Acordei-te?” – Ela sorriu ao ouvir aquela voz. Tinha saudades de o ouvir a ser querido, e a ficar embaraçado. Aos poucos tudo isso estava a voltar.

- Na verdade não. Mas por pouco – respondeu.

- “Pois! Esqueci-me que eras uma dorminhoca do pior”.

- Tu esqueceste-te? Sim, sim.

- “Apanhaste-me… só queria ouvir a tua voz” – ela corou, e ele riu-se – “Ouve, podemos encontrar-nos mais logo? Agora que os exames já acabaram, e o liceu, há umas coisas que queria falar contigo”.

- Sim, eu sei… tens bastantes coisas para te actualizares. Vou combinar com o Will, de certeza que ele sabe de mil e um detalhes que me passaram ao lado.

- “Mas também quero falar só contigo. Sobre nós”.

“Nós…, sabe tão bem ouvir”, pensou ela.

- Sim, claro. De manhã vou sair com a Helen, mas durante a tarde sou toda tua! Prometo.

- “Perfeito, até logo então” – depois de Chelsea se despedir, Jensen desligou a chamada e a rapariga levantou-se, indo-se despachar.

Depois de se vestir, saiu de casa em direcção a uma pastelaria, onde tinha ficado de se encontrar com Helen para tomarem o pequeno-almoço. A amiga, para não variar, já a esperava sentada numa mesa e sorriu-lhe assim que a viu.

Chelsea ficou a guardar a mesa enquanto Helen foi para a fila para fazer os pedidos, e ela começou a fazer gatafunhos num guardanapo de papel, com uma caneta que Helen tinha dentro da mala. A ruiva suspirou e olhou para a amiga, a fila parecia que nunca mais desaparecia. Olhou para a rua, pela montra da pastelaria, e sorriu. O Natal estava quase a chegar, e ela até já tinha feito a árvore de Natal. “Tenho que lhe comprar uma prenda…”, pensou ela, referindo-se a Jensen.

Depois do aniversário dela, pouco mais falaram. Jensen já tinha recuperado todas as suas memórias, mas a última semana do semestre era sempre a mais complicada na universidade por causa dos exames, e não tiveram muito tempo para se encontrarem.

Estava distraída a rabiscar no guardanapo quando sentiu um beijo ao de leve na bochecha e sorriu automaticamente quando sentiu o cheiro daquele perfume.

- Pensava que só nos víamos à tarde – disse ela, corando levemente, quando viu Jensen ao seu lado.

- Que posso dizer? Acho que tenho saudades tuas – ele inclinou-se para lhe dar um beijo e quando ela ia juntar os lábios dos dois, Helen apareceu por trás e clareou a garganta, num modo de mostrar a sua presença e, mais importante, surpresa.

- Perdi alguma coisa? – Perguntou ela, a olhar admirada para Chelsea e Jensen, para depois pousar dois chocolates quentes na mesa.

Helen sentou-se na cadeira em frente de Chelsea e continuou a olhar para os dois amigos, à espera de uma explicação.

A rapariga dos caracóis ruivos trocou um olhar com Jensen, ela não sabia o que dizer a Helen, não queria inventar histórias, não queria mentir, mas também não sabia se Jensen queria assumir tudo.

- Sim – acabou o rapaz dos olhos azuis por dizer, sentando-se na cadeira ao lado da namorada –, mas parece que agora já estás a par de tudo.

Tanto Helen, como Chelsea, olharam surpreendidas para ele.

- Ele está a dizer o que eu penso que está? – Perguntou Helen, à melhor amiga. Chelsea apenas encolheu os ombros e sorriu, denunciando toda a felicidade que sentia, e Helen riu-se – Vejam só… quem iria imaginar…

 

 

- Posso-te perguntar uma coisa? – Jensen e Chelsea passeavam por detrás da casa desta, no bosque, de mãos entrelaçadas e a um passo que transmitia a maior calma do mundo. O rapaz olhou para a namorada e assentiu-lhe, para que continuasse – Porque contaste à Helen sobre nós? Da última vez…

- Não querias? – Interrompeu ele.

- Sim, queria. Eu amo-te, e não quero esconder o facto de estar contigo, mas como da última vez mantivemos tudo um bocado escondido, pensei que era isso que querias fazer agora também…

Jensen parou de andar e Chelsea imitou-lhe o gesto, dois passos depois. Ele agarrou-lhe na outra mão e pôs-se de frente a ela, para depois lhe tirar um fino caracol ruivo dos olhos. Ela sorriu-lhe.

- Há muitas coisas que fizemos mal da última vez – afirmou ele, firmemente – Perdemos bastante tempo.

- Então estás a dizer que queres assumir tudo? A toda a gente? Tens a certeza?

- Tenho, da última vez não o fizemos e olha o que aconteceu. Não quero perder mais tempo. Se… se alguma coisa má acontecer não quero olhar para trás e lembrar-me de que não aproveitei todos os segundos possíveis para estar contigo – Chelsea olhou para baixo e as bochechas começaram a ficar coradas, e Jensen riu – Ficas engraçada quando coras.

- Idiota, assim ainda coro mais – reclamou ela, revirando os olhos – Não tem graça, já não estou habituada a ter-te a dizer-me coisas dessas.

Ele respirou fundo.

- Sim, eu fui um estúpido contigo. Desculpa…

- Não foste nada… bem, um bocado, mas isso eras apenas tu a seres tu.

- E ainda não te dei uma prenda de anos – riu-se ele.

Ela encolheu os ombros e olhou-o nos olhos.

- Mas deste – afirmou ela, sorrindo-lhe – Deste-me a melhor prenda de todas.

Ele deu-lhe um beijo leve nos lábios e depois puxou-a até uma pedra grande, onde se sentaram os dois.

- Diz-me o que perdi – pediu.

Chelsea suspirou. Por onde havia de começar?

- Bem, depois de tu… nós, termos morrido…

- Tu morreste? – Ela assentiu com a cabeça, e ele mordeu o lábio – Então… como?

- Não sei como. A Cassie morreu, e o Richard, e tu… e eu só… não consegui aguentar. Tive… um curto-circuito, uma descarga de adrenalina, não sei o que foi… lembro-me de uma luz fortíssima e de ver as Bruxas a desfazerem-se antes de fechar os meus olhos. Os Guardiães ressuscitaram-nos, mas quando eu acordei nenhum de vocês se lembrava de nada.

- Nem a Cassie? Então ela não sabe que é tua amiga…

Chelsea abanou a cabeça.

- Até ao que ela sabe, nunca nos conhecemos.

- Então e quanto a demónios?

- Bem, conheci outro dos teus simpáticos irmãos… o Jecek. Lembras-te do dia em que o Brad me levou a casa? E que eu estava cheia de feridas? Foi ele. Como se não tivesse força, fica invisível… nada bom.

Ele abraçou-a e ela pousou a cabeça no seu ombro, respirando fundo.

- Desculpa não te ter ajudado em nada – lamentou ele.

- Não faz mal… são quase horas de almoço, comes connosco?

Jensen riu-se.

- Os teus pais vêm comer a casa? – Chelsea assentiu – Este deve ser um almoço interessante.

- Já estou a tremer – brincou ela.

Levantaram-se e fizeram o caminho contrário, agora em direcção à casa dela, enquanto continuavam a conversar.

Quando chegaram, Chelsea abriu a porta e o cheiro do almoço fez-se logo sentir. Deslocaram-se os dois até à cozinha, onde viram Margaret voltada para o balcão.

- Oi mãe – disse Chelsea, fazendo com que a mãe se voltasse para eles.

- Olá meninos! – Cumprimentou Margaret.

- Olá – disse Jensen, cumprimentando-a com um beijo na bochecha – Margaret, não tem comida para mais nenhum?

Margaret soltou uma gargalhada.

- Tu já fazes parte da mobília rapaz – disse ela – Vão chamar o Richard, ele está no quarto. Chelsea, o teu pai está mesmo a chegar.

Eles foram ao andar de cima chamar o irmão de Chelsea e depois desceram todos juntos, para ajudar a pôr a loiça na mesa e a levar a comida para a sala de jantar. Quando Norman chegou já estava tudo despachado, e sentaram-se os cinco à mesa para começarem a comer.

- É verdade, grandes arrombamentos – comentava o xerife, entre garfadas de comida. Chelsea trocou um olhar com Jensen, ela estava nervosa. “Mas é uma estupidez”, pensava para si. Afinal, para quê tanto nervosismo? Os pais sempre gostaram dele, não era propriamente um desconhecido. Como Margaret diz “já era da mobília”.

- Mãe, pai… - murmurou Chelsea, captando a atenção de todos para ela – Eu sei que depois do almoço vão trabalhar, e por isso queria… queríamos dizer isto já.

- Dizer o quê? – Perguntou Norman – Quem?

- Eu, e a Chelsea – respondeu Jensen, para surpresa de Richard – Eu e a vossa filha… nós… - Jensen olhou para a namorada, que estava a ficar com as bochechas levemente ruborizadas e respirou fundo – Nós namoramos.

Primeiro instalou-se um enorme silêncio naquela sala, mas depois a gargalhada de Richard cortou-o e Chelsea olhou para ele.

- Onde está a graça? – Perguntou ela.

- Ele… e… - Richard parou de rir e ficou sério a olhar para eles os dois – Vocês estão a falar a sério… - concluiu.

- Sim – confirmou-lhe a irmã, dirigindo depois a atenção para os pais – E vocês? Não dizem nada?

Margaret não sabia bem como reagir. Ela gostava de Jensen como se fosse filho dela, mas sabia perfeitamente como ele era com os namoricos e não gostava que Chelsea estivesse lá metida. Mas já conhecia a filha ao ponto de saber que era teimosa o suficiente para fazer o que quisesse. O mais que podia fazer era oferecer o seu ombro para ela chorar se as coisas dessem para o torto.

- Bem, vocês é que sabem… - foi Norman quem falou, mas também ele não sabia bem o que dizer. Nunca gostou da ideia da filha namorar, mas sabe perfeitamente que é algo inevitável – Só… não me façam avô demasiado cedo.

- Fique descansado – disse Jensen.

 

Dê por onde der, eu logo posto Armadura do Coração, já lá vai uma semana e o capítulo ainda está a meio --'

Comentem, sim?

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

Sem imagem de perfil

De Bia a 20.07.2013 às 14:11

Dê por onde der, este fim-de-semana vou-me atualizar na Armadura do Coração, prometo :)

O Jensen é tão querido!
Imagem de perfil

De Annie a 20.07.2013 às 14:56

Tu sabes que eu adoro todos os capítulos mas, estes onde eles estão bem e são fofinhos um para o outro deixam-me derretida.
Adorei a reação do Richard e a do Norman ahaah <3
Imagem de perfil

De francis marie a 20.07.2013 às 15:40

COISAS MAIS FOFAS SDBHUSNFEWEUDFHBUE *OOOOO*
AIIII EU AMEI, TANTO, TANTO, TANTOOOOO *-*
Sem imagem de perfil

De Maria a 20.07.2013 às 21:16

omg muito fofos, a reacção do norman foi inesperado
Imagem de perfil

De ♥ Annie ♥ a 21.07.2013 às 21:25

So o titulo deste capitulo me poem a sorrir. Sabes como adoro o Rich :) AMO-O!
AHHHHH eles vao assumir tudo a todos, qui fixe :)
A reação de todos e tipo: ''AHAH eles estam a gozar,só pode, isso e impossivel!'' eheh
Adorei o pai dela ahahah
Ansiando pela tal descoberta do meu adorado Richard :D
AMEIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII!
Imagem de perfil

De Yria Rivers a 10.02.2014 às 12:19

volteiiii
ahahahahhahahahahha opá o jensen é tão fofo e morri com a reação do richard

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor




The Ghosts

web counter free