Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




DDO: Batalhas sem Fim

por Andrusca ღ, em 18.07.13

Eu tenho a certezinha que vão adorar a parte 2 deste capítulo, mas ou isto tem no minimo 5 comentários para o postar antes de ir de férias, ou ficam na expectativa até dia 17...

 

Capítulo 13

Um Desejo à Estrela * Parte 1

 

Chelsea estava deitada sobre o telhado ao lado da janela do seu quarto e observava as estrelas calmamente. A noite já tinha chegado há poucas horas, e o cansaço já se estava a apoderar dela, mas a bela rapariga não se queria deitar. Por muito sono que tivesse, por muito cansada que se sentisse, não queria ir para a cama e adormecer. Porque amanhã quando acordasse teria dezoito anos. Dezoito anos, e tudo continuaria na mesma. Ia continuar a ser desastrada, ia continuar a não ser boa na escola, ia continuar a perseguir demónios e ia continuar sem Jensen a seu lado.

- Mas o que é que eu estou a fazer com a minha vida? – Murmurou ela, baixinho, com um tom de frustração.

Bateram na janela antes de a abrirem e ela assustou-se. Richard pôs a cabeça de fora e sorriu-lhe.

- Sabes que horas são? – Perguntou ele, ao que ela abanou a cabeça – Meia-noite. Parabéns, mana.

A rapariga dos caracóis ruivos sorriu-lhe.

- Obrigado Rich.

- Devias ir dormir… - aconselhou ele – Amanhã tens que estar bem acordada para a tua festa.

Chelsea assentiu com a cabeça e depois voltou a olhar para o céu, onde viu passar uma estrela cadente. Era tão brilhante, e no entanto parecia demorar demasiado tempo a passar, deixando uma longa cauda de brilho no céu. Richard riu.

- Pede um desejo à estrela, pode ser que se realize – ele voltou a encostar a janela e foi-se embora para o quarto, enquanto Chelsea continuou a observar a estrela e a segui-la com os olhos.

“Porque não?”, perguntou-se ela, sorrindo enquanto os seus olhos brilhavam.

- Eu desejo… - Chelsea respirou fundo e fechou os olhos – desejo que ele se consiga lembrar de tudo sem quaisquer problemas.

Quando voltou a abrir os olhos a estrela já tinha desaparecido, e mais uma vez ela sorriu. “Já tens idade para começares a ter juízo”, pensou para si.

Entrou para o quarto e vestiu o seu pijama, pondo-se dentro do calor dos lençóis e do cobertor logo em seguida. Ainda demorou alguns segundos a adormecer, mas assim que o fez começou a sonhar com as mais belas maravilhas do mundo. E a melhor coisa, não havia lutas, nem problemas, nem nada de mau. Só paz, amor… felicidade.

Acordou com o despertador e desligou-o, levantando-se logo de seguida. Arrastou-se sonolenta até à casa de banho onde tomou um duche rápido, e depois abriu o roupeiro para escolher o que ia vestir. Optou por umas calças pretas, uma blusa lilás clarinha e umas botas cinzentas, curtinhas. Ajeitou-se em frente ao espelho e, após pentear os caracóis, aplicou um pouco de maquilhagem muito suavemente. Guardou os livros dentro da mala e desceu as escadas, em direcção à cozinha.

Margaret estava a comer umas torradas, e assim que viu a filha sorriu e foi abraçá-la.

- Parabéns meu pequeno anjo! – Saudou, dando-lhe um enorme beijo na bochecha. Chelsea sorriu.

- Obrigada mãe – agradeceu ela – Onde está o pai?

- Mesmo aqui – Norman respondeu ao mesmo tempo que entrava na cozinha, e deu, também, um abraço bem apertado à filha – Parabéns!

- Obrigado – disse ela, sorrindo-lhe também.

- E ela hoje até se despachou a horas! – Exclamou Richard, ao entrar também na cozinha, a rir-se.

- Muito engraçadinho – reclamou-lhe a irmã.

- Dezoito anos… quem diria? – Divagou ele, em voz alta – Queres a tua prenda agora, ou mais tarde?

- Agora! – A ruiva riu-se, e Richard seguiu-lhe o exemplo. Podia ter atingido a maturidade, mas em certas coisas era tal e qual como uma criancinha pequena.

Richard tirou as mãos de trás das costas e Chelsea viu um embrulho, que lhe foi entregue. Era da ourivesaria. Começou a rasgar o papel do pequeno embrulho e, depois de abrir a caixa, viu uns brincos bastante simples, compridos, de prata. Discretos, mesmo como ela gosta.

- Obrigado, são lindos! – Agradeceu ela, dando um abraço ao irmão.

- Agora é a nossa vez! – Anunciou Margaret, agarrando num saco que estava encostado à parede – Abre lá.

Chelsea já sabia o que era, tinha sido ela a ir comprar, pois os pais raramente acertavam na roupa que ela gostava, e quando acertavam era de um tamanho que não lhe servia. Ela abriu o saco e de lá tirou um vestido, curtinho e de malha. Bastante simples, com uma gola que descaía, cinzento.

- É para usares logo na festa – afirmou o xerife Burke, sorrindo-lhe.

- Combina perfeitamente com as minhas botas novas – gloriou-se a rapariga dos caracóis ruivos, rindo-se – Obrigado aos dois.

Depois de tomar o pequeno-almoço, Chelsea rumou à escola, e o caminho pareceu-lhe mais comprido do que nunca. Não conseguia parar de pensar no futuro, e no passado, e no que deveria estar a fazer e não estava.

Uma parte de si queria desistir dos deveres de Defensora e dedicar-se à juventude a que tinha direito, mas a outra não lhe permitia.

- Só quero uma vida normal! – Suspirou ela, ao avistar os portões do Liceu de Diamond City.

Pelo menos do liceu iria ter férias. Esta era a última semana de aulas, e assim poderia descansar um pouco. “Se ao menos tivesse férias da Escuridão”, deu por si a pensar.

Avistou Helen, Tony e Will à entrada o liceu e acenou-lhes, ao que eles retribuíram.

- Parabéns! – Gritaram Helen e Tony, agarrando-se à amiga.

- Obrigada malta… credo, deixem-me respirar! – Disse ela, rindo-se.

Os amigos largaram-na e continuaram a rir.

- Hoje é o teu aniversário? – Perguntou Will.

- Sim, é – respondeu ela, sorrindo-lhe – A propósito, logo à noite, às nove e meia, vem ter connosco ao Drink&Tell, é uma espécie de festa improvisada…

Will sorriu-lhe.

- Parabéns – Afirmou ele – E sim, eu vou.

As aulas foram bastante chatas, e Chelsea só pensava em chegar a casa e ficar descansada até à hora da festa. Realmente este ano nem isso a deixava entusiasmada. Antigamente fazia festas enormes e fazia deste dia memorável, mas este ano nem vontade para ir beber um copo tem. Se ao menos o seu desejo se realizasse, seria o aniversário mais feliz de toda a sua vida.

 

 

Assim que fechou a porta ouviu movimento na cozinha e foi espreitar. Viu Jensen a fechar o frigorífico e a pôr sumo para dentro de um copo. Ele voltou a pôr a embalagem no frigorífico e depois voltou-se, com o copo na mão, para ir para o quarto de Richard. Assustou-se com a presença da ruiva, não esperava.

- Ei! – Exclamou ele, pousando o copo em cima do balcão – Parabéns caracolinhos! – Andou apressadamente até ela e agarrou-a ao colo, dando uma volta e pousando-a depois no chão. Ela apenas lhe sorriu.

- Obrigado – Normalmente o dia de anos dela era quando Jensen ficava mais mansinho. Não era habitual discutirem neste dia.

Ele voltou a agarrar o copo e começaram os dois a subir as escadas.

- Não te esqueças, logo à noite no Drink&Tell – relembrou a ruiva.

- Está bem, lá estarei – disse Jensen, sorrindo – E vou levar a Brenda.

Chelsea engoliu em seco e parou a meio das escadas, fazendo com que o amigo parasse para ver o que se passava. Aquilo magoava-a mais que qualquer outra coisa. Preferia mil vezes enfrentar vários demónios ao mesmo tempo do que ver Jensen com outra rapariga. Mas claro que não podia mostrar.

Os seus olhos começaram a ficar enlagrimados e ela tentou com todas as forças controlar-se, mas não conseguiu. Tinha atingido o fundo. Já não aguentava mais.

- Claro! Leva-a à minha festa. Casem-se. Tenham cinco filhos. Vê se me importo! – Reclamou, um bocado bruta a mais.

- Ei! Que atitude é essa?! – Defendeu-se Jensen – Credo, já sabia que tinhas mau feitio, mas ultimamente andas pior. O que é que foi isso? É ciúmes, é?

Involuntariamente a mão de Chelsea dirigiu-se com força à cara de Jensen, fazendo um pequeno barulho quando a chapada se deu. Jensen ficou estupefacto, e Chelsea não soube o que fazer por poucos segundos. Ela não lhe queria ter batido. Não queria. Mas não conseguia suportar a situação em que ambos estavam. Não conseguia lidar com o facto de ele não se lembrar de nada. Já tinha ultrapassado o limite de tudo o que conseguia suportar.

- Se apenas te lembrasses – murmurou ela, com uma lágrima quase a cair-lhe pelo olho. Jensen não a ouviu bem, por isso ficou à espera que continuasse – Se queres namorar com ela, namora. Não é da minha conta. Mas sei que não vão ser felizes.

- E porquê? – Perguntou ele, desafiante.

- Porque ela não faz com que o teu coração bata mais depressa, ou com que fiques nervoso quando a vês ao fundo da rua… - Chelsea pressionou os lábios com força – E acho… acho que não te devias contentar com nada menos que isso. Acho… que devias procurar alguém que ames. Mas não é da minha conta. Desculpa, eu…

- Chelsea…

- Sabes que mais? Nem sequer vás… não preciso que vás. Vai ficar com a tua namorada e esquece que eu existo, não quero saber de mais nada – ela desatou a correr pelas escadas acima e entrou no quarto, fechando a porta e encostando-se a ela, enquanto deixava que as lágrimas lhe escorressem pelas bochechas rosadas.

Aos poucos deixou-se escorregar e ficou sentada no chão, encostada à porta, a deixar sair todas as lágrimas que tinha suprimido durante várias conversas.

- Não… consigo fazer… mais… isto! – Assegurou ela, entre várias paragens por causa dos soluços do choro. Doía demais.

Jensen ficou parado nas escadas, ainda por alguns segundos até ter reacção. Ele não percebia o que tinha acabado de acontecer, para ele não tinha qualquer sentido. Mas tinha ficado com uma sensação estranha. Era como um peso no seu coração ou um entrave na garganta que não deixava que o ar lhe fosse para os pulmões. Era uma sensação desconhecida e desconfortável.

Ele bebeu o sumo que tinha no copo e entrou no quarto de Richard.

- Vou embora – declarou – Até logo.

Richard nem teve tempo de dizer nada, pois ele fechou logo a porta e desceu as escadas, fazendo uma pequena paragem na cozinha para deixar o copo, antes de sair.

Enfiou as mãos nos bolsos do casaco e começou a caminhar em silêncio. Aquelas últimas palavras de Chelsea não lhe saíam da cabeça.

- Não te contentes com ninguém além da pessoa que amas – murmurou ele, pontapeando uma pequena pedra que se atravessou no seu trajecto.

Já tinha tido muitas discussões com a sua “caracolinhos”, aliás, poucos eram os dias em que estavam os dois em harmonia, mas mesmo sem se lembrar do pouco tempo em que estiveram juntos e foram felizes, ele sentia que desta vez era diferente e não ia simplesmente passar. Desta vez ele olhou-lhe mesmo directamente naqueles olhos verdes e sentiu o desespero que ela sentia. A dor que sentia. E mesmo sem as memórias do passado, sentia-se responsável por aqueles belos olhos verdes já não irradiarem o brilho de antigamente. Mas que podia fazer ele? Era apenas mais um ignorante entre os humanos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


14 comentários

Imagem de perfil

De francis marie a 18.07.2013 às 16:25

Ele vai-se lembrar, ele vai se lembrar, ele vai-se lembrar, ele vai-se lembrar , ELE TEM QUE SE LEMBRARRR DDD:

AMEII, posso fazer eu os 5 comentários para pores AGORA o capitulo? *-*
Imagem de perfil

De francis marie a 18.07.2013 às 16:50

mas... mas ... mas... isso não é justo :ccc
Imagem de perfil

De UmToqueDeSentimentos a 18.07.2013 às 16:52

OMG ta quase +.+
ele vai se lembrar tenho acerteza +.+
Parabéns a personagem principal a caracolinhos :P

Marisa
Sem imagem de perfil

De Bia a 18.07.2013 às 17:15

Ele vai-se lembrar, tem de se lembrar. Coitada da Chelsea :(

P.S. Vamos ficar sem capítulos até ao dia 17? A sério, eu não vou aguentar ;)
Imagem de perfil

De Andrusca ღ a 18.07.2013 às 17:39

ainda não sei como vai ser, porque para a semana vou de férias e lá não tenho net, mas algo se há-de arranjar, não te preocupes (:
Sem imagem de perfil

De Patricia a 18.07.2013 às 18:09

Ele tem de se lembrar, tem mesmo :o
Imagem de perfil

De Andrusca ღ a 18.07.2013 às 18:45

obrigada por comentares Patricia (:
Imagem de perfil

De Annie a 18.07.2013 às 18:44

Coitadinha da Chels, e ele que não se lembra.
Vá, quero essa segunda parte já
Imagem de perfil

De francis marie a 18.07.2013 às 21:35

JÁ TENS 5 COMENTARIOOOOOOS *O*
Sem imagem de perfil

De Maria a 18.07.2013 às 22:27

wow a chelsea deitou nesmo tudo cá para fora. isto foi mesmo um abre olhos para o jensen.
posta antes dia 17(sorry, não ter comentado estes dias, foi mesmo por causa da 2ª fase)
Imagem de perfil

De Raqueel a 19.07.2013 às 12:01

Tipo... omg o: Adoreii ! Prontos, secalhar a Chelsea foi um bocado repentina e tal, mas pode ser que ele agora abra os olhos o_o Isso era muito fixe*--*
Beijinhoos
Imagem de perfil

De ♥ Annie ♥ a 21.07.2013 às 21:00

PARABENS CHELS <3
Ai, mas a serio q o parvo do will nao sabia que ela fazia anos -.- AIAI -.-
Mas bem, ela expldio completamente. Mas é verdade Jensen, vai por ela!
Pode ser q assim ele se lembre de uma vez..
Amei <3
Next...

Comentar post


Pág. 1/2




Mais sobre mim

foto do autor




The Ghosts

web counter free